sexta-feira, 28 de Maio de 2010

Cachaço Assado no Tacho

Água mole em pedra dura...
e lá me decidi a experimentar a boa fama do cachaço!
Comecei por amassar uma espécie de pasta com 2 colheres de sopa bem cheias de banha, 1 colher de sopa de massa de pimentão, uns 3 dentes de alho picados, uns grãos de pimenta preta esmagados e umas pedrinhas de sal (poucas).

Barrei 1 pedaço de cachaço, calcando bem com uma colher para a pasta aderir.

Num tacho largo (muito largo, lol) coloquei 1 fio de azeite e 1 cebola aos pedaços.
Coloquei o cachaço sobre ela e deixei-o tomar cor de todos os lados.

Juntei 1 dl de brandy, tapei o tacho e deixei ficar sobre lume brando durante cerca de 1 hora.

Juntei então umas batatas descascadas, rebolei-as no molho que se formou e tapei novamente o tacho.
Deixei cozinhar mais 20 minutos.
Fatiei a carne e acompanhei com as batatas e grelos cozidos.

Nada mal; super tenro e muito saboroso...
Até conseguiu apagar a fama que tinha, cá por casa, de ser demasiado gordo!


sábado, 22 de Maio de 2010

Cubinhos de Salmão com Cogumelos

Aqui ninguém faz caras feias ao salmão... tem quase o estatuto do bacalhau ou do atum que são assim uma espécie de «não é peixe»...
Daquelas coisas que não são para eu perceber!

Num tacho coloquei 1 fio de azeite, 2 dentes de alho em pedacinhos e meio pimento vermelho às tiras.

Juntei ainda 1 cebola, também cortada em pedacinhos.
Deixei rebolar no azeite durante uns 2 minutos.

Então foi a vez de se juntarem à festa, 3 lombos de salmão cortados em cubinhos.
Deixei-os tomar o sabor do refogado.

Reguei-os com meio copo de vinho branco, tapei o tacho com a tampa e deixei sobre lume brando durante 10 minutos.

Juntei ainda 200 g de cogumelos frescos, fatiados, e deixei no lume mais 5 minutos.
Esperei outros 5 minutos, com o lume apagado e a tampa do tacho colocada para os sabores apurarem.

Acompanhei só com salada de alface... já que somos alfacinhas, lol!!!


segunda-feira, 17 de Maio de 2010

Compota de Morangos Inteiros

«Esta é, literalmente, uma compota só ao alcance de alguns: os que se atreverem a fazê-la.»
E esta foi a frase do Luís que me levou a aceitar o desafio...

Comprei 2 Kg morangos, firmes e bem cheirosos.

Lavei-os e tirei-lhes só as sépalas verdes com a ajuda de uma faca.

No tacho onde fiz a compota, coloquei os morangos inteiros, envolvi-os com 1 Kg de açúcar e reguei-os com o sumo de 2 limões.
Deixei-os descansar cerca de 1 hora.

Levei então ao lume, até ferver.
De vez em quando, agitei o tacho, mas tenho de confessar que a tentação de lhe enfiar uma colher de pau foi muito grande... mas resisti.
Deixei ferver durante 5 minutos, apaguei o lume e deixei descansar toda a noite.
Na manhã seguinte, decantei mais ou menos dois terços do muito liquido que se formou, para uma outra panela que levei ao lume, destapada, até reduzir até quase um quinto do seu volume.
Entretanto, juntei mais 1 Kg de açúcar aos morangos, deixei-o absorver pelo liquido dos morangos e levei ao lume brando até ferver.
Aqui começaram as operações de aquecimento/arrefecimento sucessivas -fiz para aí umas 5.
Quando a calda ficou bem grossa, juntei o liquido que reduzi na outra panela, agitei e voltei a deixar ferver.
Enchi 5 frascos com a compota ainda quente.

Foi uma trabalheira, é verdade!
Esta compota é mesmo para quem não tiver pressa...
Só a sensação de um morangão a desfazer-se na boca compensa realmente a aventura deste fim de semana...


sábado, 15 de Maio de 2010

Cataplana de Maruca

Não há regra sem excepção!
A maruca é a minha... pois gosto imenso de peixe e de outros que vêm do mar.
Por isso, resolvi metê-la na cataplana, para ficar com um ar mais apetecível...
(o ar até que lhe deu, mas continuo a não ser fã de maruca, pois, pois...)
No fundo da cataplana, coloquei azeite, 2 dentes de alho esborrachados, rodelas de batatas e salpiquei com sal.

Por cima das batatas, umas ameijoas congeladas (era o que havia, mas gosto mais de frescas...).
Salpiquei com pimenta preta moída na altura.

Sobre as ameijoas, dispus uma mistura de cebola em pedacinhos, 1 tomate em pedacinhos e uma metade de pimento verde e de outro vermelho.

Finalmente coloquei as postas de maruca (salpicadas com sal), reguei-as com 1 fio de azeite, meio copo de vinho branco e mais um pouco de pimenta preta.

Fechei a cataplana e levei-a a lume brando durante uns 15 minutos.

Agora era só salpicar com uns coentros picados...

Conclusão: não vou permitir a entrada de postas de maruca no meu frigorífico...


quinta-feira, 13 de Maio de 2010

Trouxinhas de Peru com Ananás e Fiambre

Gosto de recheios: nos peixes, nos bifes e...
Sobre os bifes de peru, polvilhados com umas pedrinhas de sal, coloquei uma fatia de fiambre.

Depois, 2 colheres de sopa bem cheias de polpa de ananás (esta era da lata, mas pode bem ser de ananás fresco triturado).
Enrolei e prendi as trouxinhas com palitos.

No fundo da frigideira, coloquei azeite, 2 dentes de alho às rodelinhas e 1 cebola grande em meias luas.

Quando a azeite ficou quente, juntei-lhe as trouxinhas, salpicadas com pimenta e paprika.

Deixei-as tomar cor de todos os lados.
Reguei-as com meio copo de vinho branco.
Coloquei uma tampa e deixei-as suar, durante uns 15 minutos.

Juntei então umas ervilhas tortas, a quem tirei o fio.
Estufaram mais 5 minutos.

Não é só de recheios que eu gosto, também me perco por umas ervilhas tortas bem frescas e crocantes...


quarta-feira, 12 de Maio de 2010

Creme de Ervilhas

Há muito que eu queria um creme de ervilhas, assim, todo especial...
Tornei-me chatinha e fiz muitas perguntas a quem sei que as posso fazer (acho eu, claro...).
Acabei a comprar 1 osso de presunto num Domingo de manhã... acreditam?
Na panela, coloquei o osso de presunto e 3 batatas descascadas e cortadas em rodelas.

Juntei 2 cebolas cortadas às rodelas e em meias luas. Deixei ferver e baixei o lume.
Cozeram durante uns 10 minutos.
Acrescentei meio quilo de ervilhas frescas descascadas e deixei cozer durante mais 7 minutos.
Pesquei o osso do presunto e passei o creme com a varinha.
Com a ajuda de uma faca cortei e piquei os bocadinhos de carne do osso de presunto e juntei-os ao creme.

O sabor do creme de ervilhas ficou super, mas para a próxima não junto os pedacinhos de presunto cozidos.
Experimento antes 1 raminho de coentros picados...
(e não, não juntei sal... confiei no osso de presunto para essa tarefa).


domingo, 9 de Maio de 2010

Dourada com Recheio e Limão

Desta vez, a dourada grandona veio com espinhas e tudo...
mas nem por isso deixou de ser recheada!

Temperei-a só com sal e o sumo de 1 limão.
Deixei descansar cerca de 2 horas, no frigorífico.

Para o recheio, usei 100 g de bacon aos cubinhos, 1 cebola, 2 dentes de alho, meio pimento vermelho e uns pezinhos de salsa.
Piquei tudo.

Com a ajuda de 1 colher de chá, enchi a barriga da dourada e o espaço dentro da cabeça com o recheio, apertando bem.
Coloquei a dourada recheada num tabuleiro de barro, untado com azeite.

Em volta, coloquei cubos pequeninos de batatas, meias luas de rodelas de limão, salpiquei com sal e sumo de meio limão.
Polvilhei com uma pitada de pimentão doce em pó e reguei com 1 generoso fio de azeite.

Levei ao forno quente, durante cerca de 50 minutos.

A meio do tempo, reguei com meio copo de água.

Conclusão: nem só com grandes e variados temperos se consegue um belo peixinho no forno...

sexta-feira, 7 de Maio de 2010

Bavaroise de Morangos

Esta é daquelas receitas que se trocam entre risotas e conversas numa hora de almoço...
Obrigada Cris!

Arranjei 300 g de morangos, cortei-os em pedacinhos e levei-os ao lume com 200 g de açúcar.
Devia ser até fazer ponto de fio (Foi o que a minha colega disse...), mas eu deixei no lume brando até conseguir uma calda espessa.
Juntei ainda 4 folhas de gelatina, demolhadas em água fria, e mexi, para se dissolverem na calda.
Deixei arrefecer.

Entretanto, bati 2 pacotes de natas (de 200 g) em chantilly.
Juntei 2 iogurtes naturais e bati mais um pouco.

Misturei a calda dos morangos, já fria, e envolvi bem com uma colher de pau.
Coloquei numa forma passada por água fria e levei ao frigorífico, de um dia para o outro.
Desenformei.

Desta vez, fiz só metade da receita para experimentar...
... e usei morangos em vez de framboesas.
Mas que batoteira saí!


terça-feira, 4 de Maio de 2010

Quase, quase... Goulasch

Chamo-lhe quase quase Goulasch porque andei a ler umas coisas e não cheguei a conclusões, a não ser que se trata de uma carne guisada...
Para dizer a verdade, a vontade de o fazer veio do que li e vi aqui...

No tacho de barro, deitei 1 fundo de azeite, 1 colher de sopa de banha e 2 cebolas cortadas em gomos.

Quando o azeite e a banha ficaram bem quentes, juntei 700 g de carne de vaca, cortada aos cubos, temperada com alhos picados, sal, pimenta e pimentão doce.
Deixei tomar cor, mexendo de vez em quando.

Juntei 2,5 dl de vinho tinto e 3 cravinhos (não gosto de cominhos!).
Deixei estufar (será guisar? - baralho sempre os termos) durante uns 45 minutos, com o tacho tapado.
Finalmente juntei umas tirinhas de casca de limão e deixei apurar o molho.

Acompanhei com batatas cozidas (só por causa dos raspanetes...), mas para a próxima vai ser com fritas mesmo...

Agora concordam comigo no quase, quase???