quarta-feira, 27 de Abril de 2011

Ovos à Escocesa (Trilogia 25)

Esta semana as galinhas fartaram-se de correr... 
Por ser Páscoa e por ser «ovos» o tema que propus ao Amândio e ao Luís. 


Misturei 500 g de carne de vaca picada com 1 cebola picada finamente na picadora e temperei com sal e pimenta.
Liguei a mistura com 2 gemas de ovos.
Entretanto, cozi 6 ovos que, posteriormente, descasquei.


Embrulhei os ovos com a carne picada, tendo o cuidado de não deixar aparecer a clara do ovo.
Passei-os por farinha, ovo batido e, finalmente, pão ralado.


Depois, fritei-os num recipiente alto e estreito, para que ficassem imersos no óleo quente.
Escorri-os sobre papel absorvente.
Servi-os sobre uma cama de grelos, temperados com 1 fio de azeite.


Para escoceses, estes ovos falaram muito bem português...
Disseram-me que, para a próxima, devo usar mais um pouco de carne picada e que gostaram muito do banho no óleo, um de cada vez, sem confusões...


segunda-feira, 25 de Abril de 2011

Favas Guisadas com Entrecosto

Uma vez ou duas por ano há favas assim, aqui em casa...


Cobri o fundo de um tacho com azeite e 2 cebolas grandes em rodelas.
Juntei entrecosto e toucinho, cortado em cubos, temperados com sal, pimenta, alhos picados e colorau.
Deixei-os fritar um pouco e reguei-os com um pouco de vinho branco, 
Foi então que coloquei rodelas de chouriço e rodelas de morcela, assim como um ramo de hortelã e coentros, sobre a carne.
Tapei o tacho e deixei estufar, sobre lume brando, até ficarem tenros.
Retirei os coentros e a hortelã e juntei as favas.
Deixei o tacho sobre lume sempre brando, até as favas ficarem tenras.
Agitei o tacho.
Polvilhei com mais coentros picados e servi.


Ficaram boas, mas ainda não posso dizer que me habituei ao cheirinho das ditas cujas, mesmo com o perfume da hortelã e dos coentros...
lol!!!

sexta-feira, 22 de Abril de 2011

Salmão à JP

O JP é meu colega na escola... e amigo também!
É o filho mais velho ou o irmão mais novo que toda a gente gostava de ter.
Este salmão assim, simples e delicioso,  saiu numa conversa de MSN.


Cobri o fundo de uma frigideira larga com azeite e juntei 3 dentes de alho picados.
Quando o azeite aqueceu, juntei 3 postas de salmão, salpicadas com sal e pimenta preta.
Passados uns minutos, virei as postas com cuidado.
Borrifei com vinho branco e tapei a frigideira.
5 minutos depois, destapei a frigideira, retirei-a do lume, reguei com o sumo de 1 limão e polvilhei com coentros (o JP disse salsa, mas aqui preferem-se os coentros).
Acompanhei com batatas cozidas.


Nada mau e muito despachado!

quarta-feira, 20 de Abril de 2011

Canelones de Fiambre (Trilogia 24)

Nesta 24ª semana de trilogia andámos os 3, o Amândio, o Luís e eu a afiambrar… ideias que passam pela cabeça de homens do Norte, em boa hora, diga-se de passagem, para que não haja duvidas. 

Piquei 3 cenouras na picadora.


Piquei também 250 g de fiambre da perna.


Misturei, numa taça, a cenoura, o fiambre e 5 colheres de sopa de queijo ralado.
Usei uma mistura de 4 queijos.


Recheei 12 canelones com esta mistura, com a ajuda de uma colher de café.
Coloquei-os num tabuleiro untado com manteiga.


Cobri-os com meio litro de molho Bechamel (faz-se com manteiga, farinha e leite, mexendo sempre para não criar grumos).

Espalhei umas tiras de fiambre sobre os canelones.

Polvilhei com mais queijo ralado.


Levei ao forno para gratinar.


Ficaram no forno cerca de 25 minutos.


Só mesmo quem não gostar de fiambre ou de cenoura ralada consegue resistir a este recheio crocante que espreita… bem guloso!

domingo, 17 de Abril de 2011

Raia no Forno

Adoro raia!
 Normalmente sai na caldeirada ou frita, mas porque não no forno?

Dei uma cozedura prévia, de poucos minutos, a umas batatas e cenouras.
Coloquei-as, depois de escorridas, num tabuleiro com o fundo coberto de azeite e rodelas de cebola.
Por cima dispus 3 pedaços de raia, temperados com sal, pimenta preta e rodelas de alhos.
Salpiquei com pimentão doce e borrifei com brandy.


Levei ao forno durante uns 30 minutos.
Salpiquei com coentros cortados.


Esta foi a asa que sobrou e ficou para o dia seguinte, aquecida no forno.
Não perdeu nada, antes ganhou sabor... e um molho mais apurado.


Bom aspecto, não???

sexta-feira, 15 de Abril de 2011

Atum de Fricassé

Atum fresco, costumo preparar em (e como) bifes, já que lhe chamam a carne do mar...
Desta vez saíram cubinhos de fricassé.


Deixei os bifes de atum fresco em água gelada durante cerca de 2 horas, para perder a sua cor escura.
Cortei 2 bifes em cubos e estufei-os rapidamente em azeite, 2 cebolas em rodelas e um pouco de vinho branco.
Salpiquei com pedrinhas de sal e pimenta preta.


Fiz arroz branco e salteei ervilhas tortas em azeite e alhos picados.


Para o molho de fricassé, misturei 2 gemas de ovos com o sumo de 1 limão e salsa picada.
Juntei o molho ao atum, bem quente, mas fora do lume, envolvendo rapidamente com a colher de pau.

Combinaram bem os três, embora deva dizer quatro, se contar com o molho...
Afinal foi ele quem fez (e muito bem) de elo de ligação.

quarta-feira, 13 de Abril de 2011

Fofos de Milho com Salmonetes (Trilogia 23)

Em dia de 23ª quis o Luís que o simples e humilde milho fosse o rei…
O Amândio e eu fizemos-lhe a vontade soberana!


Untei as formas de queques de silicone com óleo.
Misturei 1 lata de milho doce com 1 cenoura cortada em cubinhos.
Dispus 1 colher desta mistura no fundo de cada forma.


Misturei 2 chávenas de farinha de milho com 1 colher de chá de fermento em pó e com 4 colheres de sopa de azeite.
Juntei 2 ovos inteiros e bati bem com a colher de pau.
A pouco e pouco, fui juntando 1 chávena de leite quente, mexendo sempre.
Por fim, deitei na massa cogumelos frescos partidos em pedacinhos e envolvi-os.


Deitei 2 colheradas de massa em cada uma das formas, agitei-as (para a massa se ajeitar às formas) e levei ao forno por cerca de 30 minutos.


Entretanto, passei salmonetes por farinha de milho e fritei-os, em óleo quente.


Desenformei os fofos de milho que foram a correr enfiar-se nos pratos com os salmonetes fritos.
Não ficaram amigos para sempre, porque o sempre também tem fim...
Foram todos comidos!


E temos a 24ª à vista, em que o homem do leme será o Amândio...


sábado, 9 de Abril de 2011

Pescada Estufada com Favas

Há pouco tempo atrás, favas nem cheirá-las...
Agora e assim, como acompanhamento, deve ser a minha maneira preferida de as preparar e também de as comer.


As postas de pescada ficaram temperadas, durante a tarde, com sal e pimenta.
Depois foram estufadas em azeite, cebola roxa em meia luas, dentes de alho esmagados e umas rodelas de cenouras.
Acrescentei apenas um pouco de água e deixei cozinhar sobre lume brando, uns 5 minutos.


Entretanto, preparei as favas.
Coloquei azeite, 2 cebolas novas em meias luas e 3 dentes de alho esmagados no fundo de uma frigideira.
Quando o azeite aqueceu juntei 500 g de favas descascadas e agitei a frigideira.
Sobre elas coloquei umas pernadas de hortelã junto com uns pés de coentros.
Tapei a frigideira, com uma tampa, e deixei suar por uns 10 minutos.
Destapei, retirei as ervas, salpiquei com sal e outros coentros picados.


A festa fez-se só no prato, quando terra e mar se encontraram...

quarta-feira, 6 de Abril de 2011

Massada de Peru com Fiambre (Trilogia 22)

Se há coisa que estas trilogias não são, pelo menos para mim, é uma maçada...
Muito pelo contrário!
Por isso mesmo, propus ao Amândio e ao Luís fazermos uma massada, nesta 22ª trilogia.


Cortei peito de peru em tiras.
Coloquei-o numa taça e polvilhei-o com 2 colheres de chá de gengibre fresco ralado, 1 dente de alho picado, uma pitada de sal e outra de pimenta, 3 colheres de sopa de vinho branco e 1 colher de sopa de azeite.
Misturei tudo e deixei marinar durante umas horas, virando a carne de vez em quando.
Num tacho derreti 2 colheres de sopa de manteiga, juntei as tiras de peru com a marinada e deixei saltear.
Reguei com 1 dl de caldo de galinha e deixei estufar uns dez minutos em lume brando, com o tacho tapado.


Fervi em água e sal ervilhas tortas durante 1 minuto.
Escorri-as.
Cozi espirais de massa e escorri-as também.
Numa frigideira salteei, em azeite, as ervilhas tortas, 1 alho francês cortado em rodelas (só a parte branca) e 2 fatias grossas de fiambre (100 g cada uma), cortadas em quadrados.


Juntei as espirais de massa e deixei fritar um pouco, mexendo sempre, durante cerca de 3 minutos.


Envolvi as tiras de carne, estufadas, com um garfo e servi.


22ª cumprida e bem despachada...
E agora, Luís?
É a tua vez...

domingo, 3 de Abril de 2011

Camarões na Cerveja com Laranja

Nada como um Domingo de sol,
para se fazerem uns camarões mergulhar
num banho de cerveja...


Deitei 2 colheres de sopa de banha, na frigideira, junto com 1 malagueta aberta ao meio, 3 dentes de alho laminados e 3 pés de coentros cortados.


Quando a banha derreteu, juntei os camarões e deixei-os fritar rapidamente.


Reguei-os com cerveja branca e polvilhei-os com mais coentros.
Salpiquei.os com umas pedrinhas de sal.


Quando a cerveja evaporou, reguei-os com o sumo de meia laranja e dispus sobre e à volta deles, meias luas de mais laranja.


Apesar do que disse inicialmente,
acreditem que os camarões gostam deste banho
em qualquer dia da semana e com quaisquer condições climáticas...


sexta-feira, 1 de Abril de 2011

Frango com Cerveja

Não disse que o bolo tinha sido só uma das coisas que saíram da minha cozinha, feitas com cerveja?
Descobri este frango irresistível!


Alourei 4 cebolas grandes, cortadas às rodelas, em manteiga.
Juntei 1 frango cortado em pedaços.
Temperei com sal, pimenta, noz moscada, 1 cravo de cabecinha esmagado, tomilho e 1 folha de louro.
Deixei-o alourar.


Reguei-o com 3 dl de cerveja branca, tapei o tacho e deixei estufar por 45 minutos.


Destapei o tacho e deixei-o apurar por mais uns 15 minutos.


Entretanto, fiz puré de maçã com 4 maçãs reinetas, 1 colher de sopa de manteiga, uma pitada de sal e um pau de canela.
Foi ele quem acompanhou o frango.


Foram só surpresas:
- usar manteiga em vez de azeite deu um sabor especial;
- as 4 cebolas tornaram o molho tão espesso e saboroso como seria de se esperar!