sexta-feira, 29 de Julho de 2011

Feijoada de Choco

Era um choco bem grandão, mesmo a pedir para cair num tacho de feijão branco...


O choco foi arranjado e cortado em tiras.
Estufei-o num tacho com azeite, 2 cebolas em meias luas, 2 dentes de alho picados, rodelas de cenouras (serão prismas de cenoura?) e vinho branco.
Temperei com muito pouco sal e uns pozinhos de pimentão doce.
Quando ficou tenro, juntei uma lata grande de feijão branco, misturei e deixei apurar durante uns minutos.
Polvilhei com um raminho de coentros cortados com a tesoura.


Ficaria bem melhor com feijocas cozidas, mas o tempo às vezes é comandante... e é para esses dias que existem as latas de feijão já cozido.

quarta-feira, 27 de Julho de 2011

Crepes de Ananás (Trilogia 38)

Crepes, disse o Luís...
E assim nos lançou, a mim e ao Cupido, numa aventura/estreia que se revelou bem divertida e gostosa...
 

Misturei 150 g de farinha com 2 colheres de sopa de açúcar, 3 ovos ligeiramente batidos, 2 dl de leite e 1 colher de sopa de rum.
Tapei a tigela com um pano e deixei em repouso durante uma hora.


Fritei a massa, dos 2 lados, em porções numa frigideira antiaderente, untada com manteiga.


Nem dava para acreditar como foi fácil e como ficaram fininhos e bonitos…


Num tacho derreti 100 g de manteiga e juntei-lhe 6 rodelas de ananás, cortadas em pedacinhos.
Deixei fritar ligeiramente.
Quando começaram a alourar, polvilhei com 100 g de açúcar mascavado e deixei ferver até alourarem de novo.


Reguei com 2 colheres de sopa de rum e incendiei.
Quando a chama se extinguiu coloquei um pouco do recheio sobre cada um dos crepes e enrolei-os.


Servi com o próprio molho e chantilly.


Não vão a correr buscar o garfo que este aqui em cima é para a minha amiga nº1, a Elsa...
Parabéns a ela e a mim também porque tenho uma amiga assim especial!!! 
E ainda… pelos crepes maravilhosos.


domingo, 24 de Julho de 2011

Dourada Recheada

Adoro recheios, dá para ver se conhecerem o meu blog...
Este foi uma inspiração, de tão bom que ficou!


Descasquei uma mão cheia de camarões frescos.
Depois cortei-os em rodelinhas.


Numa taça misturei, com as mãos, uns pedaços de manteiga, o sumo de 1 limão, as rodelinhas de camarão, uns 2 dentes de alho picados e salsa cortada grosseiramente.
Temperei com sal e pimenta moída na altura,


Espalhei este recheio pelo interior da dourada aberta e sem espinha central.
Entretanto, coloquei batatas no tabuleiro, temperei-as com sal, pimenta e azeite e levei-as ao forno.


Passados cerca de 50 minutos, coloquei a dourada recheada e já fechada no meio das batatas.
Reguei com um fio de azeite, borrifei com vinho branco e polvilhei com pedrinhas de sal e pimentão  doce em pó.
Levei novamente o tabuleiro ao forno por mais meia hora.


A manteiga derreteu, como era de esperar, impregnando o interior da dourada, enquanto o limão e o alho a perfumaram...
Ficaram as rodelinhas de camarão e a salsa, à espera de serem encontrados!!!


sexta-feira, 22 de Julho de 2011

Cubinhos de Vaca

Tão bons quanto coloridos!!!


Numa frigideira larga, coloquei azeite, 2 dentes de alho picados, 1 cebola cortada em gomos, tiras de pimento amarelo e pedacinhos de bacon.
Deixei-os rebolarem-se no azeite até murcharem e o bacon fritar.


Juntei cubinhos de carne de vaca e umas rodelas de chouriço.
Salpiquei com vinho branco e água.
Tapei a frigideira e deixei  ficar sobre lume brando até a carne ficar tenra.
Juntei então uns cogumelos frescos inteiros e deixei apurar o molho.
Polvilhei com salsa picada.
Acompanhei com batatas fritas.


Nada mau, para um jantar despachado...

quarta-feira, 20 de Julho de 2011

Pannacotta (Trilogia 37)

Nesta 37ª semana propus natas ao Cupido e ao Luís...
Adivinha-se uma semana docinha!

Coloquei num tacho 600 g de natas (3 pacotes), 5 colheres de sopa cheias de açúcar, 2 colheres de sopa de rum e uma vagem de baunilha aberta ao meio com as respectivas sementes retiradas com a ajuda de uma faca.
Dei uma mexidela para dissolver o açúcar e deixei descansar por cerca de 
1 hora.
Levei ao lume até levantar fervura, mexendo sempre.
Retirei do lume e deixei arrefecer um pouco para juntar uma saqueta de gelatina neutra em pó que dissolvi em meia chávena de café de água quente.
Mexi bem e rapidamente.
Deitei numa forma passada por água fria
Levei ao frigorífico de um dia para o outro.


Mergulhei o fundo da forma em água quente e desenformei.


Depois foi a vez do molho de framboesas:
numa panelinha deitei 150 g de framboesas frescas, 5 colheres de sopa de açúcar, 2 colheres de sopa de rum e 1 de água.
Deixei ficar cerca de meia hora e levei ao lume brando, mexendo sempre, até obter um puré.
Deixei reduzir uns minutos, mantendo o lume baixinho.


Deixei arrefecer, passei por um passador (para me livrar das sementes) e coloquei o molho sobre a pannacotta.


Acho que ficou linda,  vermelha e branca…
O ácido das framboesas contrastou na perfeição com a doçura e a macieza das natas cozidas e gelificadas…

segunda-feira, 18 de Julho de 2011

Camarões com Brandy e Laranja

Quando disse que vinham mais camarões por aqui, não estava a brincar...
Foi uma semana de ensaios e de apuramentos!


Numa frigideira, coloquei azeite e 2 colheres de sopa de banha.
Deixei aquecer e juntei uns 3 dentes de alho esmagados.
Quando estes estalaram, fritei, dos 2 lados, uns camarões grandões, temperados com sal e pimenta preta moída, aos quais retirei um filamento escuro, puxando pela cabeça,..
Reguei-os com meio copo de brandy e o sumo de meia laranja.
Tapei a frigideira e deixei o molho apurar uns minutos.
Juntei ainda coentros cortados.
Servi com rodelas de laranja.


Não é por serem uns grandes camarões que se poderão considerar mais saborosos...
Camarões são assim como os frascos de perfume que não se devem nem podem julgar pelo tamanho! (lol!!!)

sábado, 16 de Julho de 2011

Camarões e Mexilhões de Fricassé

Nesta semana, o tema camarão ditado pelo Amândio para a trilogia de 4ª feira, serviu-me de pretexto para alguns ensaios...
Este foi o resultado de um deles!


Descasquei completamente meio quilo de camarão fresco.


No tacho de barro preto, coloquei azeite e duas cebolas cortadas em meias luas.


Quando a cebola ficou murcha juntei os camarões.
Deixei-os rebolarem-se com as cebolas.
Entretanto escaldei e retirei das cascas uma mão cheia de mexilhões grandões.
Juntei-os também aos camarões.


Para o molho de fricassé:
numa tacinha bati 2 gemas de ovos com o sumo de 1 limão.
Jutei aos camarões no tacho, mexendo rapidamente para engrossar um pouco, sem coagular as gemas.
Retirei do lume, juntei salsa picada e servi de imediato com batatas fritas.


Não posso garantir que os camarões fiquem por aqui... há mais alguns na gaveta das receitas.

quarta-feira, 13 de Julho de 2011

Camarões na Trilogia 36

Gostando como gosto de camarões até podia ter sido eu a propor este tema...
Mas não fui eu, foi o Amândio!
E o Luís e eu lá fomos à pesca...


Descongelei os camarões num passador.


Descasquei os camarões, deixando-lhes a cabeça.
Temperei-os com sal e sumo de limão.
Passei-os por farinha, depois por 2 ovos batidos e finalmente por pão ralado.
Fritei-as em azeite bem quente.


Descasquei e piquei uma cebola.
Refoguei-a em lume brando com 1 colher de sopa de azeite.
Juntei 1 colher de chá de gengibre fresco ralado, 1 colher de sopa de vinagre branco, 2 colheres de sopa de molho de soja e 1 colher de sopa de mel de medronho.
Cozinhei durante uns 8 minutos, mexendo sempre.
Juntei ao molho o sumo de 1 laranja e a raspa de metade da mesma, assim como 1 dente de alho moído e uma malagueta.
Deixei o molho reduzir, até ficar com a consistência de uma compota


Fiz uma coroa de arroz branco, cujo buraco central enchi com o molho.
Em volta, dispus os camarões panados e servi.


Modéstia à parte, ficaram com um belo aspecto visual...
O sabor, divino, com aquele molho especial a marcar a diferença...

domingo, 10 de Julho de 2011

Chocos Grelhados

Hoje é Domingo, dia de preguicite aguda... nada de complicações na cozinha e nada de receita para o blog.


Os chocos foram arranjados, deixando um pouco de tinta.
Depois foi só grelhar e, no fim, juntei umas pedrinhas de sal (poucas).
Temperei-os ainda com azeite.


Acompanhei com batatas cozidas e grelos, para quem gosta de verdes cozidos.
Os outros tiveram a companhia de uma salada verde.


Estes chocos eram especialmente bons, cheinhos de coisas laranjas e brancas que não sei identificar mas que eram deliciosas...


quarta-feira, 6 de Julho de 2011

Salada de Polvo (Trilogia 35)

Hoje é dia de festa tripla:
1 - todas as quartas feiras de trilogia são de festa;
2 - este meu blog completa 4 longos anos de vida;
3 - uma amiga muito especial, a Alex, faz anos.
Foi o Luís quem deu o mote saladas, a mim e ao  Amândio.


Primeiro cozi metade de um polvo grandão, desta maneira, que resulta sempre bem e que até me faz rir (de mim própria e dos mergulhos sucessivos do polvo).
Fiz também um molho batendo 3 partes de azeite com 1 de vinagre, 1 colher de chá de mostarda e outra de molho inglês.


Cobri o fundo de um prato individual com feijão frade cozido e escorrido.


Sobre o feijão coloquei uns pedaços de batata cozida, outros de cenoura cozida e pedacinhos de cebola crua.
Reguei com um terço da quantidade do molho.


Foi a vez de entrarem na festa  duas pernas de polvo, partidas em pedaços,  dois ovinhos de codorniz, cortados longitudinalmente, umas belas azeitonas pretas e um molhinho de coentros cortados.
Reguei com o molho restante.


Esta simples saladinha foi uma óptima desculpa para comer polvo...
Ouvi dizer que a versão de atum ficou deliciosa também!
Que mais virá por aqui???

sábado, 2 de Julho de 2011

Arroz de Galinha no Forno

Este arroz quase não tem receita... tudo cozido e depois forno.
Mas ficou tão bom que mereceu aparecer por aqui, onde só aparecem coisas boas...


Cozi meia galinha em água temperada com meio chouriço, sal, 3 cravinhos e 1 alho francês.
Retirei-a, deixei-a arrefecer e limpei-a de peles e ossos.
Cortei o pedaço de chouriço em rodelas.
Na mesma água cozi arroz carolino que depois escorri.
No fundo de um tabuleiro de pirex, coloquei o arroz e, sobre ele, dispus pedaços de galinha e as rodelas de chouriço.
Acompanhei com folhinhas de alface, temperadas com sal e borrifadas com azeite..


Levei ao forno quente, para corar.


O arroz podia não ter secado tanto, mas até que gostei dele assim...