quarta-feira, 31 de Agosto de 2011

Lulas com Molho de Tomate (Trilogia 43)

E continuamos pelo mar, nesta 43ª semana, em que propus cozinharmos lulas ao Amândio e ao Luís que são os meus companheiros nesta viagem trilógica que não perde encanto e cada vez se torna mais motivadora (pelo menos para mim!)...


Arranjei 4 lulas frescas, deixando-lhes a pele.
Cortei-as em anéis.


Cobri o fundo de um tacho com azeite, juntei 3 dentes de alho esmagados e os anéis das lulas, assim como os tentáculos e meio copo de vinho branco.
Salteei-as no azeite quente, deixando evaporar toda a água que libertaram.


Entretanto fiz o molho de tomate:
piquei, na picadora, 1 cebola e 2 dentes de alho.
Alourei-os ligeiramente em azeite quente.
Juntei 4 tomates bem maduros e picados (com a pele e as sementes).
Deitei uma colher de sopa de açúcar e outra de vinagre de vinho tinto e mexi para dissolver bem.
Temperei de sal e pimenta preta moída.
Salpiquei com coentros picados.
Deitei este molho sobre as lulas e servi com batatas fritas.


Ficou um molho fantástico, daqueles que nos põem a pensar como ficaria com... e com...
Para a semana, já em Setembro, parece que vamos de viagem… 


domingo, 28 de Agosto de 2011

Salada de Alface Tropical

Tinha deixado uns camarões a descongelar...
Às 19h, vi o Ingrediente Secreto na RTP2, a inspiração com o tema da alface instalou-se e fez-se esta bela salada de final de verão
(e de férias também...).


Descasquei os camarões descongelados e fritei-os em azeite quente e alhos picados.
Temperei-os com sal e pimentão doce.
Escorri-os e deixei arrefecer.
Entretanto preparei a salada:
numa taça coloquei folhas de alface, lavadas e esfarripadas, uma manga e meio abacaxi cortados em cubos e 3 colheres de sopa da amêndoas laminadas.
Temperei com flor de sal, azeite e sumo de uma lima.
Envolvi tudo.
Por fim, juntei os camarões fritos.


Foi uma salada feita a 3:
- um fritou os camarões;
- outro lavou e esfarripou a alface;
- o terceiro cortou os frutos.
Trabalho de equipa só podia dar nisto: salada maravilhosa!


quarta-feira, 24 de Agosto de 2011

Pescada Trilógica (Trilogia 42)

Quando o Amândio disse pescada, para mim e o Luís nesta 42ª semana, eu pensei:
pescada recheada!
Chamei-lhe trilógica porque usei 3 sabores - presunto, cogumelos e queijo.


Temperei um centro de pescada, limpo de espinhas, com sal, pimenta preta moída, alhos picados e o sumo e a raspa de uma lima.
Deixei assim por 2 horas.


Piquei uma fatia grossa de presunto e uns cogumelos frescos na picadora.
Misturei-os com 150 g de queijo ralado e temperei com pouca pimenta.


Espalhei o recheio, calcando com uma colher de sopa, no centro da pescada.


Fechei a pescada, apertando bem.


Entretanto cozi batatas com pele, deixando-as bem firmes.
Pelei-as e cortei-as em rodelas grossas.
Coloquei a pescada, rodeada pelas rodelas de batatas, num tabuleiro.
Salpiquei com sal, mais alhos picados e pozinhos de pimentão doce.


Levei ao forno por cerca de 25 minutos.
Retirei o tabuleiro do forno e cobri a pescada com fatias de queijo mozzarella.
Voltei a colocar no forno por mais uns minutos.


Só o tempo de derreter o queijo...


Ficou super boa!!!
O melhor, para mim, foi o sabor da lima que impregnou toda a pescada, deixando-a fresca e única no sabor...
Vamos à 43ª?



domingo, 21 de Agosto de 2011

Coroa de Mariscos

Não foi à esquina que se juntaram os mariscos, foi mesmo nesta coroa que ficou bem bonita...


Coloquei meio quilo de ameijoas, meio quilo de berbigões e meio de mexilhões (frescos) em água e sal durante toda a tarde.
Abri-os sobre lume forte e retirei os miolos das cascas.


Cozi meio quilo de camarões mais 6 maiores, tal como o Luís explica aqui.


Descasquei os camarões mais pequenos e juntei-os aos outros mariscos.
Reservei os 6 maiores com a casca, assim como a água da cozedura.


Num tacho deitei uma colher de sopa de manteiga e alourei uma cebola picada.
Juntei os camarões e os mariscos descascados e finalmente, uma fatia grossa de presunto picada na picadora.
Deixei fritar um pouco.
Polvilhei com uma colher de sopa de farinha e adicionei alguma da água de cozer os camarões.
Deixei cozer uns 10 minutos, sobre lume brando, mexendo sempre.
Rectifiquei o sal e temperei com pimenta preta.


Cozi arroz em água temperada com sal e 1 colher de sopa de manteiga.
Escorri-o e coloquei-o numa forma com buraco, untada com manteiga,
Levei-o ao forno durante uns 5 minutos.
Desenformei-o para o prato de serviço, enchi o buraco central com o creme de mariscos, coloquei em volta o restante e enfeitei a coroa com os 6 camarões maiores que tinha reservado.


Esta poderá ser a coroa do mês de Agosto, o «rei do lazer»...

sexta-feira, 19 de Agosto de 2011

Bolo de Maçã

Quando vi este bolo por aqui, encantou-me a ideia daquela cobertura de maçã caramelizada e aromatizada com canela.
Disse que fazia e... fiz!


Descasquei 3 maçãs de casca vermelha e cortei-as em fatias finas.
Levei-as ao lume com 1 colher de sopa de manteiga e 2 de açúcar mascavado, até ficarem macias. 
Salpiquei-as com canela em pó.


Untei uma forma com manteiga e polvilhei-a com açúcar.
Deitei, no fundo, as maçãs com o caramelo.


Amassei 250 g de açúcar com 75 g de manteiga até obter um creme lisinho e esbranquiçado e juntei 4 ovos, um de cada vez, batendo bem entre cada adição.
Desliguei a batedeira e envolvi, com a colher de pau, 3 colheres de sopa de farinha de trigo e 2 colheres de amido de milho.
Finalmente juntei uma mãocheia de amêndoas laminadas.
Deitei a massa do bolo sobre as maçãs.


Levei ao forno por cerca de meia hora.
Retirei, deixei descansar um pouco e desenformei.


Ficou um cheirinho a maçãs e canela pela cozinha que até lembrava o Natal...
Terei que o repetir trocando as amêndoas por nozes.
Desta vez elas fizeram birra para entrar no bolo…

quarta-feira, 17 de Agosto de 2011

Espetadas de Camarão (Trilogia 41)

Foi o Luís quem disse frutos do mar...
Logo é ele o culpado dos mergulhos que o Amândio e eu demos nesta 41ª semana de trilogia!


Descongelei os camarões, descasquei-os (deixando-lhes a cabeça e cortando-lhes os »bigodes» com uma tesoura) e temperei-os com pedrinhas de flor de sal e o sumo de meia laranja.


Passada uma meia hora, montei as espetadas em pauzinhos:
1 -  um tomate cherry pêra
2 - um camarão
3 - um gomo de maçã vermelha com casca
4 - um camarão
5 - meio cogumelo
6 - um camarão
7 -  dois quartos de rodela de ananás
8 - um tomate cherry pêra


Grelhei as espetadas dos dois lados.


Servi sobre rodelas de laranja, com um fio de azeite.


E assim se juntaram os chamados frutos do mar com alguns frutos da terra para uma trilogia sempre de final feliz...


quinta-feira, 11 de Agosto de 2011

Garoupa de Ouro

Não fui eu quem teve a ideia de lhe chamar garoupa de ouro, mas concordo que ficou tão boa que até merecia a respectiva medalha...


Era uma garoupa não muito grande a quem, depois de tirada a cabeça se retiraram também todas as espinhas.
Cortei-a em 6 pedaços.


Coloquei os 6 pedaços numa taça e temperei-os com sal, pimenta preta moída, 2 dentes de alho esmagados, sumo de um limão e umas  raspas de gengibre.
Deixei descansar por 2 horas.


Passei cada um dos pedaços por farinha, ovo batido e pão ralado.
Fritei-os dos dois lados em azeite quente.
Escorri-os sobre papel absorvente.


Acompanhei-os com arroz de cenoura ralada, polvilhado com coentros picados, depois de pronto.


Foi a primeira vez que troquei o óleo por azeite para fritar peixe... e gostei!
Quanto ao gengibre deu à garoupa um sabor todo especial, entre o fresco e o exótico...


quarta-feira, 10 de Agosto de 2011

Mousse de Ananás Trilogia 40)

Em dia de 40ª propus ao Cupido e ao Luís o tema sobremesa...
Todos os motivos são bons para adoçar a boca com esta mousse doce e fresquinha!


Abri uma lata de ananás e escorri o liquido.
Medi-o e completei com água para obter meio litro.
Levei ao lume num tacho com o conteúdo de uma saqueta de gelatina de ananás, mexendo bem para dissolver o pó mas sem deixar ferver.
Retirei do lume e juntei uma lata de leite condensado misturada com 5 gemas.
Cortei em pedacinhos as rodelas de ananás (menos 3 que reservei)  e misturei-as também no creme.
Por fim incorporei as 5 claras batidas em castelo, envolvendo bem.


Deitei a mousse num tabuleiro e levei ao frigorífico de um dia para o outro.
Antes de servir, decorei com as rodelas de ananás que tinha reservado.


Deixei esta tacinha para quem quiser provar...
E agora? Mergulhamos na 41ª!!!


domingo, 7 de Agosto de 2011

Galinha Corada com Amêndoas

A ideia inicial era gratinar com bechamel e queijo ralado...
A mudança de planos aconteceu: as amêndoas substituíram o queijo e não se saíram mesmo nada mal... 


Cozi meia galinha, na panela de pressão, coberta de água temperada com sal, 3 cravinhos e 3 cebolinhas 
Juntei ainda uma linguiça de porco preto.
Depois de bem cozida, escorri a galinha, deixei-a arrefecer e limpei-a de ossos e peles, desfiando-a.
Coloquei-a num tabuleiro de barro untado com azeite e juntei a linguiça cortada em rodelas.
Polvilhei com alhos picados e coloquei umas nozinhas de manteiga.
Levei ao forno para corar um pouco.
.

Passados uns vinte minutos, retirei o tabuleiro e cobri a galinha com béchamel
Polvilhei com duas mãos cheias de amêndoas laminadas e voltei a levar o tabuleiro ao forno por mais  uns 15 minutos.


Entretanto cozi arroz no caldo da galinha, escorri-o e levei-o também ao forno para secar um pouco.


E sai um almoço de Domingo bacana!
Bacana para o almoço e bacana para o Domingo... lol!

sexta-feira, 5 de Agosto de 2011

Lulas com Caril Verde

Não andei em busca do caril encantado mas quando encontrei este caril verde fiquei com vontade de o experimentar e... trouxe-o para casa!


Pelo que li no rótulo, a cor verde é-lhe dada por chilis verdes, casca de lima e coentros.
O aroma é super: um misto de quente do caril com fresco dos verdes.


Arranjei  lulas, deixando a pele.
(Penso que foi erro deixar a pele das lulas porque a cor da mesmas interferiu com o verde do caril.)


Estufei as lulas, cortadas às rodelas, com azeite, cebola, alho e vinho branco.
Deixei-as ficar bem tenras.


Juntei o conteúdo de meio frasco do molho de caril, envolvi e deixei apurar.
Provei para temperar de sal (muito pouco).


Entretanto cozi arroz branco que enformei numa forma de bolo inglês.
Coloquei num prato de serviço rodeado por quartos de pêras maduras mas rijas, descascadas.


Em volta, coloquei as lulas com o respectivo molho.


Cor verde???? Só na imaginação...
Sabor: excelente!...


quarta-feira, 3 de Agosto de 2011

Salmão de Caril (Trilogia 39)

Quando o Cupido propôs caril, a mim e ao Luís, eu pensei que gostaria de fazer um caril diferente...
Depois de algumas experiências, mais ou menos bem sucedidas,  saiu este de salmão que, apesar do receio do casamento dos dois sabores intensos, se veio a revelar muito agradável.


Limpei 2 filetes de salmão de peles e espinhas e depois cortei-os em cubos grandes.


Cobri o fundo do tacho de barro preto com azeite e nele fritei ligeiramente 2 dentes de alho esmagados, 1 cebola em meias luas e uns cubinhos de bacon.


Juntei os cubos de salmão temperados com umas pedrinhas de sal.


Deitei no tacho o conteúdo de uma lata de leite de coco e deixei o salmão cozer em lume brando.
Quase no final misturei 3 colheres de sopa de pó de caris dissolvidos num pouco de leite de coco e juntei no tacho, envolvendo com cuidado.
Deixei que o molho apurasse uns minutos.


Entretanto cozi arroz em água e sal.
Escorri e enformei-o numa forma de estrela.


Em volta coloquei espinafres salteados em azeite e alho.


E, finalmente, o salmão com o molho de caril.


Nada mau!!!!
O sabor do salmão combinou-se com o do caril que nem era muito picante...
E agora... a caminho da 40ª... que a roda não pára!