sábado, 31 de Março de 2012

Coelho no Forno

Este deve ser o coelho  mais sem nada que se lhe diga do planeta e arredores...
ainda assim, uma delícia de coelho!...


No tabuleiro de barro, coloquei 1 coelho partido em pedaços pequenitos e, em volta deste, batatinhas descascadas.
Temperei tudo com pedrinhas de sal, pimenta preta moída, 4 dentes de alho laminados e pozinhos de pimentão doce.
Reguei com 1 copo de vinho branco e um fio de azeite.
Coloquei ainda uns pedacinhos de banha sobre o coelho.


Levei ao forno quente durante, mais ou menos, 1 hora e meia.
Acompanhei com salada de alface.


Não disse que era rápido?
Só experimentar para provar como fica bom…

sexta-feira, 30 de Março de 2012

Favas com Jaquinzinhos

Foi um dia de casamento entre as cada vez menos odiadas favas e os queridos jaquinzinhos...


Fritei os jaquinzinhos em azeite bem quente, temperados com sal e passados por farinha (desta vez foi mesmo de trigo...).
Escorri-os sobre papel absorvente.


Entretanto, fui preparando as favas.
Numa frigideira, coloquei azeite a cobrir o fundo, 3 dentes de alho esmagados, 1 cebola nova em pedaços e deixei-os rebolar um pouco.
Juntei 500 g de favas descascadas e um ramo de hortelã (feito em nó).
Sacudi a frigideira, tapei-a e deixei suar por uns 15 minutos.


Destapei, retirei a hortelã e juntei 1 molhinho de coentros picados.
Temperei com flor de sal e sacudi de novo a frigideira.


Acompanharam-se uns aos outros no prato.


Acho que já sei porque não gosto muito de favas:
não gosto é do ajuntamento com carne e enchidos... lol!!!!

quinta-feira, 29 de Março de 2012

Caldeirada de Espada Preto

Peixe-espada preto é um dos meus preferidos (tenho muitos, eu sei... lol!).
Desta vez foram filetes que resolveram mudar o destino da frigideira e entrar numa bela caldeirada...


Cobri o fundo do tacho de barro preto com azeite e juntei-lhe 2 dentes de alho esmagados, 1 cebola nova em pedaços e 2 tomates maduros em gomos.
Temperei com sal, 1 malagueta e 2 folhas de louro.


Juntei também meio pimento amarelo e meio pimento verde, cortados em tiras.
Deixei-os murchar, calmamente, sobre lume brando.
Deitei, dentro do tacho, rodelas de batatas e meio copo de vinho branco.
Depois de levantar fervura, baixei o lume e deixei o tacho tapado sobre ele, durante mais ou menos uns 10 minutos.


Coloquei, sobre as batatas, os filetes cortados em 3 e uma dúzia de camarões crus e descascados.
Deixei sobre o lume mais uns 5 minutos.


Destapei o tacho e deixei que o molho apurasse.
Polvilhei com um raminho de coentros cortados.
Retifiquei o sal.


Servi bem quente e com muito molho.


Já tinha feito caldeirada de espada preto por aqui...
Esta é a versão sem espinhas! (lol!!!)

quarta-feira, 28 de Março de 2012

Tarte de Requeijão (Trilogia 73)

Este tema de requeijão,
que eu mesma disse ao Amândio e ao Luís
foi só um pretexto para recordar esta bela tarte que não saía da minha cozinha há demasiado tempo...


Untei uma forma de tarte com manteiga e forrei-a com papel vegetal.
Reservei-a.
Escorri um requeijão de ovelha e esmaguei-o com um garfo.
Deitei-o numa taça grande.
Juntei-lhe 2 colheres de sopa de farinha, 200 g de açúcar, 1 pacote de natas (200 ml), 7 ovos inteiros e a raspa de 1 limão.
Bati bem com a batedeira.


Deitei a massa na tarteira forrada e levei ao forno pré-aquecido por, mais ou menos, 30 minutos.


Deixei arrefecer dentro do forno e depois desenformei.
Servi fresca.


É uma tarte marota esta!
Dá-lhe para crescer enquanto está a cozer, parece que vai transbordar da forma...
Ao arrefecer, baixa e formam-se rugas e folhos nas beiras.
Fica bem dourada por fora e branca de neve por dentro.
A única coisa que não é surpresa é ser a delicia que facilmente se deixa adivinhar...

domingo, 25 de Março de 2012

Robalo do Mar no Forno

Desta vez nem recheei nem nada...
Robalo de mar  é sempre bom (mas só para quem gosta!)...

Coloquei o robalão arranjado e com 2 cortes transversais num pirex.
Temperei com sal e alhos laminados.
Em volta do peixe, nos cortes e na barriga coloquei 2 cebolas novas cortadas em pedacinhos com a respectiva rama.
Borrifei com vinho branco e reguei com azeite.
Levei ao forno.


Cozi batatas com pele, pelei-as e juntei-as na assadeira.
Salpiquei com pozinhos de pimentão doce e salsa picada.


Levei ao forno mais uns minutos, só para as batatas ganharem uma corzinha.


Há alguém que me faz pensar quando diz:
«Não esqueça que não há peixe bem passado ou mal passado:
o peixe está pronto no momento exacto em que fica cozinhado e  partir daí só seca.»

quarta-feira, 21 de Março de 2012

(Um) Ensopado de Borrego (Trilogia 72)

Hoje é quarta-feira, logo dia de trilogia e, desta vez, temos o tema hortelã,  escolhido pelo Amândio, para o Luís e eu nos desembrulharmos.
Fiz um ensopado de borrego, meio beirão meio alentejano... que isto de ensopados tem muito que se lhe diga!


Na véspera, coloquei costeletas de borrego numa marinada com 2 copos de vinho branco, sal, pimenta preta moída, 7 dentes de alho laminados e 3 folhas de louro partidas.
Deixei ficar a descansar no frigorífico. 


No dia seguinte, refoguei ligeiramente, em azeite e 1 colher de sopa de banha, 2 cebolas novas (com rama) e 4 tomates maduros.
Coloquei as costeletas de borrego no tacho juntamente com a marinada.
Deixei cozinhar, em lume brando, até a carne estar tenra.
Juntei um ramo de hortelã e algumas batatas cortadas em quatro.
Deixei o molho apurar e as batatas cozerem.


Juntei uma mão cheia de cogumelos frescos fatiados e deixei sobre o lume mais uns minutos.


Coloquei fatias de pão numa terrina.


Por cima do pão deitei o estufado de borrego, cogumelos e batatas
com o molho.
Usei mais hortelã fresca.


Ficou um ensopado perfumado... delicioso para quem gosta de borrego casado com hortelã!


segunda-feira, 19 de Março de 2012

Arroz de Frango

Chegar tarde, cansada e com pouca vontade de fazer jantar não é desculpa para não ter, como produto final, um delicioso arroz de frango...


Deitei azeite, 2 dentes de alho esmagados, 1 cebola nova em pedacinhos, umas tiras de pimento verde e deixei-os rebolar um pouco no fundo de um tacho largo.
Juntei 3 peitos de frango cortados em pedaços e umas rodelas de chouriço cortadas ao meio.
Temperei com sal e pimenta preta moída.
Quando a carne tomou cor, juntei 2 copos de água quente e 1 copo de arroz carolino.
Tapeio tacho e deixei cozer uns 15 minutos, sobre lume muito brando.
Servi quente, bem malandrinho.


E assim acabaram 3 peitos de frango, cujo destino dizia que iriam ser uns belos bifes...

sexta-feira, 16 de Março de 2012

Bifes com Molho de Café e Cogumelos

São só os bifes preferidos, cá em casa...


Em azeite bem quente, deitei bifes do lombo de vaca.
Temperei com sal, pimenta preta moída e alhos laminados.
Virei do outro lado e retirei-os da frigideira, reservando-os.
Juntei uma mão cheia de cogumelos frescos fatiados ao azeite onde passei os bifes.
Passados uns 2 minutos deitei uma chávena de café expresso (bica) e um pacote de natas.
Agitei a frigideira e deixei as natas engrossarem.
Voltei a introduzir os bifes na frigideira,deixando-os embrulhar-se no molho.


E  acompanhei-os com maravilhosas batatas fritas em azeite. cortadas às rodelas.


E, desta vez, ficaram todos mal passados... até o meu!...
E não é que até gostei?

quarta-feira, 14 de Março de 2012

Natércias (Trilogia 71)

Esta é a trilogia do leite, dita pelo Luís e cumprida pelo Amândio e por mim.
Por aqui saíram as Natércias que não são mais do que queijadinhas do dito cujo tema...


Levei ao lume meio litro de leite com 50 g de manteiga até esta derreter.
Numa taça, misturei 350 g de açúcar com 100 g de farinha.
Juntei 4 ovos inteiros, um de cada vez. batendo bem.
Deitei o leite com a manteiga devagarinho (depois deste ter arrefecido um pouco).
Aromatizei com raspas da casca de 1 limão e deixei repousar por uns 15 minutos.


Entretanto, untei e polvilhei forminhas.
Enchi-as com a massa e levei-as ao forno previamente aquecido.
Desenformei as queijadas depois de frias e polvilhei-as com açúcar.


Não ficaram a dever nada à formosura... ou por culpa das formas ou por culpa de quem as encheu demais...
Podem provar esta e conferir o sabor!!!

domingo, 11 de Março de 2012

Suspiros com Morangos

Suspiros e morangos encontraram-se com as natas, fazendo um trio doce e fresquinho...


Parti, desfazendo com as mãos, 7 suspiros.
Coloquei-os numa taça e juntei-lhes meio quilo de morangos cortados em pedacinhos.


Envolvi com 1 pacote de natas batido em chantilly (sem açúcar).
Decorei com 1 morango grandão cortado em 4 e 1 raminho de hortelã.
Levei ao frigorífico por 4 horas. 


Simples e bonito, né?

quarta-feira, 7 de Março de 2012

Salmão Grelhado (Trilogia 70)

Fui eu quem disse peixe ao Amândio e ao Luís...
Primeiro porque sou o elemento «Peixes» deste trio fantástico, depois porque adoro peixe.
Também por isso, esta semana, escolhi a forma mais simples mas também a mais saborosa de cozinhar esta coisa maravilhosa chamada peixe... neste caso, o salmão!


Temperei 3 postas de salmão com sal.
Grelhei-as dos dois lados.
Acompanhei-as com batatas cozidas e grelos, regados com um fiozinho de azeite.


Simples mas muito bom...
até mereceu fazer parte desta saga que já vai no 70º episódio...

domingo, 4 de Março de 2012

Frango Estufado com 4 Cores

Verde, vermelho, amarelo e branco...
Para um frango do campo com cara de almoço num domingo frio e cheio de sol! 


Cobri o fundo de um tacho largo com azeite, 2 cebolas novas com a respetiva rama, meio pimento verde, meio pimento vermelho e meio amarelo, todos cortados em tiras.
Juntei também 2 colheres de sopa de banha.
Deixei-os rebolar uns bons minutos até se transformarem numa cama fofa para receber o frango cortado em pedaços.
Temperei com sal e pimenta.


Coloquei os pedaços de frango no tacho.
Deixei-os tomar cor de todos os lados, polvilhei-os com pozinhos de pimentão doce, pedrinhas de sal e pimenta moída.
Reguei-o com 1 copo de vinho branco e meio de aguardente.
Deixei sobre lume muito brando, durante cerca de 1 hora.


Então, destapei o tacho e deixei que o molho apurasse durante uns minutos.
Servi sobre massas, cozidas à parte com água e sal, tudo regado com o molho.


Muito bons: o frango, as massas e o molho...
Quem conseguir escolher pode vir!


sábado, 3 de Março de 2012

Cataplana de Chocos

Gosto tanto da minha cataplana que até me esqueço de a usar...
(parece contradição, mas não é... lolol!!!).


Cobri generosamente o fundo da cataplana com azeite, juntei 3 dentes de alho esmagados, uma malagueta e a rama de uma cebola cortada com a tesoura. 


Dispus 6 chocos, limpos mas com alguma tinta, sobre esta cama e temperei com muito poucas pedrinhas de sal.


Fechei a cataplana e deixei-a sobre lume brando durante uns 20 minutos.


Passado esse tempo abri-a e polvilhei os chocos com coentros picados.
Acompanhei-os com batatas cozidas com pele.


Super tenros, saborosos e com um molho grossinho fantástico...
Que mais se pode pedir para um almoço de sábado???