quarta-feira, 30 de Maio de 2012

(Um) Bolo de Maçã (Trilogia 82)

E já vamos na 82ª, a da maçã que eu disse aos companheiros constantes das trilogias, o Amândio e o Luís.
Por aqui saiu um bolo bem simples mas saboroso (como todos os bolos que faço... lol!!!)


Forrei uma forma com papel vegetal , untei-a com manteiga, polvilhei-a com açúcar e dispus gomos de maçã reineta.
Borrifei os gomos de maçã com sumo de limão.
Fui batendo a massa:
- misturei 200 g de manteiga com 2 chávenas de chá de açúcar.
- quando obtive um creme esbranquiçado, juntei  5 gemas de ovos, uma de cada vez, e misturei bem;
- bati as claras em castelo e fui juntando à massa, alternando com 1 chávena e meia de farinha misturada com 1 colher de chá de fermento.
- aromatizei com a raspa de 1 limão.


Deitei metade da massa do bolo sobre os gomos de maçã reineta, dentro do papel vegetal.
Sobre a massa, coloquei mais gomos de maçã.


Finalmente deitei a outra metade da massa e levei ao forno.


Cozeu em forno médio, até o palito que lhe espetei sair seco.
Desenformei quando estava morno e levei ao frigorífico.


Ficou bom mesmo, melhor ainda depois de passar uma noite no frigorífico...


domingo, 27 de Maio de 2012

Massada de Bacalhau

Ainda não tinha feito massada de bacalhau...
Talvez por ser um dos pratos preferidos dos meus pais, comi tantas vezes em criança que entrei numa longa pausa, agora quebrada...


No tacho, com o fundo coberto de azeite, coloquei 3 dentes de alho esmagados, 1 cebola em meias luas, 1 tomate maduro em pedaços e meio pimento  amarelo às tiras.


Rebolaram-se um pouco e juntei-lhes 2 postas de bacalhau demolhadas (sem peles nem espinhas), cortadas em tiras.
Deixei que se conhecessem e envolvessem.
Polvilhei com pimenta moída e pozinhos de pimentão doce.
Deitei depois 3 copos de água e tapei o tacho, até a água ferver.


Juntei então 250 g de espirais coloridas.
Mexi com a colher de pau e deixei cozer por uns 10 minutos.
No fim, antes de servir, polvilhei com salsa picada.


Muito saboroso e bem colorido, foi o resultado...


sábado, 26 de Maio de 2012

Linguados em Cama de Vegetais

Comprei 3 linguados tão grandões que os parti ao meio.
Experimentei fazê-los de maneira diferente das suas caras metades que fritei como de costume.


Cobri o fundo de um tacho largo com azeite e deitei-lhe 3 dentes de alho esmagados, uma cebola cortada em gomos, rodelas de batatas e rodelas de cenouras.
Juntei também 300 g de ervilhas congeladas.
Salpiquei tudo com pimenta moída e pozinhos de pimentão doce.
Reguei ainda com meio copo de vinho branco e tapei o tacho.
Deixei estufar por uns 15 minutos.


Coloquei estão as 3 metades de linguados sobre os vegetais.
Salpiquei com pedrinhas de sal e reguei com mais meio copo de vinho branco.
Tapei o tacho de novo e deixei que o linguado cozesse no vapor (mais uns 10 minutos).


Com o tacho destapado deixei que o molho  apurasse.


Lá que ficaram bons não dá para ter duvidas...
Diferentes, no sabor e na textura. também!

quarta-feira, 23 de Maio de 2012

Farinheira Mexida com Ovos (Trilogia 81)

Estamos na 81ª semana de trilogia e o Amândio disse farinheira para que o Luís e eu nos enchessemos de aromas e sabores deliciosos de fumo...


Escolhi uma farinheira sequinha que é assim que eu gosto delas.


Tirei-lhe a pele e deitei-a numa frigideira com um fiozinho de azeite e dois dentes de alho grosseiramente cortados.
Quando a farinheira aqueceu foi fácil desmanchá-la com a ajuda de um garfo.
Envolvi-a com o azeite e os alhos, deixando-a fritar só ligeiramente.


Misturei então 2 maçãs golden cortadas aos cubos (não eram bem cubos - que não há cubos irregulares...).


Envolvi também, com a colher de pau, 100 g de pinhões.
Finalmente juntei 5 ovos batidos e temperados com pimenta preta moída e umas folhas de coentros.
Fui sempre mexendo, sobre lume brando, até os ovos coagularem (sem os deixar secar).


Acompanhei com arroz branco e  coloquei mais um pezinho de coentros sobre os ovos mexidos.


Fiquei a pensar muito bem da ligação:
farinheira - ovos - maçã - coentros.
Foi agradável encontrar e trincar os pinhões, mas terei de pensar se os junto na próxima... acho que o seu sabor precioso se perdeu.


sábado, 19 de Maio de 2012

(Outro) Pregado no Forno

Avisei que ficámos fãs...


No tabuleiro preto do forno coloquei batatas em rodelas, 3 dentes de alho esmagados, uns gomos de cebola e tiras de pimento vermelho.
Salpiquei tudo com pedrinhas de sal, pimenta moída e reguei com um generoso fio de azeite.
Levei ao forno cerca de 45 minutos até as batatas assarem.


Arranjei espaço, no centro do tabuleiro, com a ajuda de uma colher, para colocar o pregado temperado com sal e um pouco de vinho branco.
Sobre este, coloquei umas tiras de pimento vermelho assado que pesquei do tabuleiro.
Deitei colheradas do molho que se formou no tabuleiro sobre o peixe.


Levei de novo ao forno, mais uns 20 minutos até o pregado assar.


O 1º estava cortado em postas, este tinha cortes transversais...
Ainda terei de assar um inteiro!


quarta-feira, 16 de Maio de 2012

Lulas Recheadas (Trilogia 80)

Não, o tema desta 80ª trilogia com o Amândio e o Luís não eram as lulas, mas sim os aproveitamentos.
E eu usei sobras de cozido domingueiro para rechear  estas lulas que ficaram bem deliciosas...


Piquei (na picadora) carne e enchidos que sobraram de um cozido (sempre que o faço sobram rores de carne e quase nada de couves - lololol).
Juntei umas folhinhas de salsa.


Com este recheio enchi os sacos de 6 lulas e prendi com um palito.


Num tacho, preparei um molho de tomate com azeite, alho esmagado, 1 cebola e 2 tomates maduros em pedaços.
Temperei com sal, pimenta moída e 1 folha de louro.


Mergulhei as lulas no molho de tomate, tapei o tacho e deixei-as estufar em lume brando, uns 30 minutos.


Destapei o tacho e deixei o molho apurar.


Acompanhei-as com puré de batata e uma salada verde.


Esta foi a primeira vez que recheei lulas com sobras de carne.
Costumo fazê-lo com queijo, fiambre e cenoura ralada.
Nada más estas... penso até que foram perfeitas para celebrar a 80ª semana de parceria activa.



sexta-feira, 11 de Maio de 2012

Bifes de Cebolada

Eram uns bifes com cara de durões, daqueles que não dão nem pingo de confiança...
Acabaram no tacho!


Numa frigideira, larga e com tampa, deitei azeite e juntei 3 dentes de alho em rodelinhas, 3 cebolas em meias luas, 2 tomates maduros cortados em gomos, 1 folha de louro e um raminho de salsa.


Quando murcharam, coloquei sobre estes os 3 bifes de vaca.
Temperei-os com sal, pimenta preta moída e reguei-os com meio copo de vinho branco.


Tapei a frigideira e deixei-a, sobre lume brando, durante uns 30 minutos.
Deixei que o molho apurasse, com a frigideira destapada, durante mais uns 10 minutos.
Acompanhei com batatas cozidas.


O resultado foi o que se esperava:
bifes tenros e saborosos com um molho delicioso!




quarta-feira, 9 de Maio de 2012

Entrecosto no Forno com Canela (Trilogia 79)

A canela é a senhora escolhida esta semana para a trilogia semanal com o Amândio e o Luís.
Experimentei este entrecosto, nada consensual, mas estrondoso de sabores, na minha opinião... 


Duas horas antes de o meter no forno, coloquei um pedação de entrecosto, cortado em tiras não separadas no tabuleiro de barro untado com azeite.
Temperei-o com sal, 5 dentes de alho laminados, 2 folhas de louro partida, raspas de meio limão, de uma laranja e de uma lima.
Reguei-o com os sumos dos citrinos referidos e juntei 3 paus de canela.


2 horas depois levei o tabuleiro ao forno onde ficou cerca de 1 hora e meia.
Acompanhei este entrecosto perfumado com arroz branco.


Quando pensar em canela não vão ser só os maravilhosos pastéis de Belém que me subirão às ideias...


segunda-feira, 7 de Maio de 2012

Pregado no Forno

Há posts que são um verdadeiro desassossego...
Ficam a martelar nas ideias até se concretizarem, na minha cozinha.
Foi o que aconteceu com este, do Garficopo, talvez porque nunca tinha comido pregado e também porque adoro peixe no forno... 


Num tabuleiro, com azeite no fundo, coloquei batatas em rodelas, 3 dentes de alho esmagados, umas cebolinhas novas e tiras fininhas de pimentos verde e vermelho.
Salpiquei com sal e pimenta moída.
Levei ao forno até as batatas dourarem.


Sobre as batatas coloquei o pregado, cortado em 3, salpicado apenas com sal.


Levei o tabuleiro, de novo, ao forno por mais uns 20 minutos até o peixe assar.


E acho que o pregado ganhou mais 3 fãs, já que por aqui ninguém refilou dele nem da sua prestação...
Eu serei a fã nº 1, claro...


sábado, 5 de Maio de 2012

Pudim de Laranja

Para fazer este pudim inspirei-me neste pudim chinês da avó Helena


Bati 400 g de açúcar com 6 ovos inteiros e 1 colher de sopa de farinha, até conseguir uma massa homogénea e clara.
Misturei nesta massa, com a colher de pau, o sumo de 4 laranjas grandes.


Levei ao forno, numa forma untada com caramelo.


Cozeu durante, aproximadamente, 30 minutos quando o palito que espetei saiu seco.
Deixei arrefecer na forma, desenformei e levei ao frigorífico.


Não se pode dizer que ficou bonito ao desenformar, mas o sabor fresquinho a laranja doce compensou...
Culpa das laranjas que eram grandes e sumarentas??



sexta-feira, 4 de Maio de 2012

Espada Preto com Ameijoas no Tacho

Era bem grandão este espada preto:
 deu 12 filetes e claro que não iam acabar todos condenados à frigideira...


Num tacho largo, deitei azeite a cobrir o fundo e deixei que rebolassem nele, cortados aos pedaços:
2 dentes de alho
2 cebolas
meio pimento verde
meio pimento vermelho
2 tomates maduros
Temperei com sal e pimenta moída.


Juntei batatas cortadas em rodelas, reguei com meio copo de vinho branco, tapei o tacho com a tampa e deixei suar por uns 10 minutos.


Foi então a vez de entrar no tacho uma mão cheia (cerca de 200 g) de miolo de ameijoas descongelado e previamente lavado em água quente corrente.


Sobre o miolo de ameijoa dispus os filetes de espada preto.
Salpiquei-os com sal e raspa de 1 limão.


Esperei mais 5 minutos com o tacho tapado.
No fim, polvilhei com coentros cortados.


E não é que foram as raspas de limão, que nem sequer estavam programadas inicialmente, quem tornou esta espécie de caldeirada num jantar especial?