segunda-feira, 30 de Julho de 2012

Almôndegas com Azeitonas Verdes

Gosto de fazer as almôndegas em casa.
Assim sei sempre como ficam temperadas e até posso juntar algumas surpresas: desta vez foram rodelinhas de azeitonas verdes descaroçadas.


Misturei bem 700 g de carne de vaca picada com sal, pimenta, alhos picados, 1 ovo inteiro e 1 pão duro demolhado em água fria e espremido.
No final juntei azeitonas verdes descaroçadas e cortadas às rodelas.


Moldei as almôndegas que passei por farinha.


Num tacho, fiz molho de tomate com azeite, 1 cebola picada, polpa de tomate e um pouco de vinho branco.
Temperei com sal, pimenta moída e 1 folha de louro.
Introduzi as almôndegas neste molho e deixei-as estufar com o tacho tapado uns 20 minutos, em lume muito brando.


Acompanhei-as com batatas fritas em azeite.


Não ficaram nada mal... apesar de um bocado grandonas.
As azeitonas deram-lhes um saborzinho todo especial! 


quinta-feira, 26 de Julho de 2012

Espada Preto com Camarão

Não consegui deixar de fazer estes filetes que vi aqui, no programa  JA ao Lume...
Tinham tudo para virar tentação!


Usei filetes de espada preto frescos que temperei com sal e sumo de limão pouco tempo antes de os passar por farinha, ovo batido e fritar.
Escorri-os sobre papel absorvente.


Numa frigideira, deitei um fio de azeite, 5 dentes de alho esmagados e uma malagueta.
Quando o azeite aqueceu, juntei uma mão cheia (18) de miolo de camarão e deixei fritar um pouco.
Juntei um raminho de coentros cortados e o sumo de meio limão.


Servi os filetes regados com este molho, delicioso e bem cheiroso (cheiro de Bulhão Pato), e um arroz de ervilhas com cubinhos de bacon.


A tentação não desiludiu mesmo... dizer deliciosos é pouco!


quarta-feira, 25 de Julho de 2012

Uma Salada com Pepino (Trilogia 90)

Entrámos na reta para as 100, com o pepino escolhido pelo Amândio...
Não foi fácil decidir o que fazer, pois o pepino e eu somos muito pouco amigos (estamos até de relações cortadas, lol...).
Luís fez uma bela de uma sopa fria que eu, desta vez, já fui espreitar...
Por aqui fez-se uma boa salada com molho de iogurte. 


Comecei por fazer o molho de iogurte que, depois, ficou no frigorífico.
Misturei 1 iogurte grego com 1 colher de café de azeite.
Temperei com sal fino e 5 folhas de hortelã picadas.
Envolvi bem.
Escaldei miolo de camarão, que também ficou a aguardar a sua vez de entrar em cena, no frigorífico.


Numa saladeira, coloquei rodelas de 2 tomates maduros, mas firmes.


Sobre estas coloquei rodelas de pepino.
Salpiquei com sal e oregãos.
Deitei também um fio de azeite.


Foi a vez de entrarem, na saladeira, umas azeitonas verde descaroçadas, uns cubos de queijo Feta e alguns dos camarões descascados e escaldados.


Repeti mais uma vez as camadas: tomate, pepino e outros, temperando de novo.
Servi o molho de iogurte à parte.


E que venha a próxima!!!


sexta-feira, 20 de Julho de 2012

Salada Russa

A salada russa é um acompanhamento fresquinho, mesmo a jeito para estes dias quentes...


Desde que ganhei confiança para fazer maionese em casa, nunca mais comprei frascos.
Para esta usei 1 gema de ovo e azeite.
Temperei com sal, pimenta moída e sumo de limão.


Cozi, em água e sal, batatas em quartos, cenouras às rodelas e ervilhas congeladas.
Escorri, deixei arrefecer e envolvi com a maionese.
Acompanhou uns filetes de espada preto, bem simples, passados por farinha e fritos em azeite. 


Sentimos a falta de umas azeitonas pretas, descaroçadas e cortadas às rodelinhas...

quinta-feira, 19 de Julho de 2012

Ninhos de Passarinhos

Volta e meia dão-me as saudades destes bifinhos, sempre simpáticos e saborosos...
Vou mostrá-los, outra vez, que já ninguém se lembra!


Espalmei 3 bifes de peru (dei-lhes umas marteladas com o martelo dos bifes) e temperei-os com sal e pimenta moída.


Sobre cada um deles coloquei uma fatia de fiambre, uma de queijo e 1 ovo cozido.


Enrolei os bifes como se fossem trouxinhas e prendi com palitos.
Temperei-os, por fora, com sal e pimenta moída.


Num tacho, deitei um fio de azeite, 3 dentes de alho esmagados 1 cebola cortada em meias luas e meio pimento amarelo às tiras.
Deixei-os rebolar no azeite quente até ficarem murchos.
Juntei as trouxas de peru e alourei-as de todos os lados.
Reguei-as com 1 copo de vinho branco, tapei o tacho e deixei-as estufar sossegadinhas, durante uns 20 minutos.


Coloquei puré de batata num prato de serviço e enterrei nele as trouxas de bife de peru que, entretanto, cortei ao meio (e retirei os palitos).


Ficaram muito bons, como sempre... 
Nem preciso falar daquelas tiras de pimento amarelo meio carameladas!


quarta-feira, 18 de Julho de 2012

Tomates Recheados (Trilogia 89)

Saiu tomate para a 89ª, dito pelo Luís.
E não é que o Amândio e eu decidimos recheá-los, de formas tão diferentes que acabámos por provar que nestas trilogias imperam a riqueza e a diversidade de ideias... (arruinando por completo a monotonia!).


Escolhi 3 tomates maduros, mas rijos, mais ou menos do mesmo tamanho.
Lavei-os, sequei-os e retirei-lhes o pé.
Finalmente cortei-lhes uma tampa e, com uma colher de chá, retirei-lhes a polpa.


Deixei-os num escorredor, virados para  baixo durante uns minutos.
Entretanto, cozi uma chávena de café de arroz em água e sal e esfiapei uma lata de atum escorrida.


Misturei o arroz cozido com o atum.
Temperei com 1 dente de alho e 1 cebolinha picados, pimenta preta, 1 colher de sopa de azeite, sal, oregãos e um pézinho de coentros cortado.
Envolvi bem.


Enchi as cavidades dos tomates com a mistura/recheio.
Em cada um dos tomates juntei 3 cubos de queijo Feta.


Salpiquei as tampas com sal fino e pimenta moída.
Levei ao forno por uns 15 minutos.


Estes ficaram tão bons que nem as caixinhas (tomates) escaparam...


segunda-feira, 16 de Julho de 2012

Pregado no Forno com Molho de Ameijoas

Já tinha experimentado com os choquinhos  da 86ªtrilogia... 
O resultado foi tão bom que, desta vez, foi ensaiado com o pregado.
Este é a prova viva de que nunca é tarde para nos deixarmos encantar, nem que seja por um peixinho.


O senhor pregado, com o seu ar imponente, ficou a descansar no frigorífico toda a noite. 


No fundo de um pyrex deitei molho de ameijoas à Bulhão Pato, coado, para lhe retirar os coentros e os dentes de alho.
No molho, coloquei batatinhas com casca e levei ao forno por cerca de 50 minutos.


Retirei o pyrex do forno e, sobre as batatinhas, coloquei o peixe, temperado com umas pedrinhas de sal e umas colheradas do molho das ameijoas.


Levei ao forno por mais uns 20 minutos.


Muito bom mesmo...
E não fui só eu (poderia ser suspeita... lol!) quem achou...

quarta-feira, 11 de Julho de 2012

Sardinhas Assadas (Trilogia 88, a do Verão)

É Verão, nos dias e também nesta 88ª semana de trilogia com o Amândio e o Luís.
Não me lembrei de nada mais apetitoso do que estas sardinhas assadas que não são iguais às assadas no fogareiro de carvão, mas que sabem divinamente...


Assei as sardinhas no grelhador elétrico, salpicadas com sal, junto com meio pimento verde.


Cozi batatas e fiz uma salada com tomate às rodelas, à qual juntei o pimento assado cortado em tiras e umas rodelitas de cebola.
Temperei com sal, azeite e um pouco de vinagre.


Mesmo simples, sardinhas e respetivo acompanhamento, conseguiram encher o prato com um festival de cores e sabores...
Por este andar ainda chegamos à 100ª!


sábado, 7 de Julho de 2012

Pão Misto no Forno

Já não lembro onde vi, mas se leva queijo e fiambre não me podia escapar...
quem se escapou desta foi mesmo a pescada (desculpem, esta é private joke...).


Barrei o tabuleiro com manteiga e coloquei sobre ela uma camada de fatias de pão de forma.
Sobre cada fatia dispus uma fatia de fiambre e outra de queijo.
Cobri com outra camada de fatias de pão de forma e repeti outra vez, acabando com fatias de pão.
Misturei 1 copo de leite com 1 pacote de natas e 3 ovos inteiros.
Temperei a mistura com sal e pimenta moída e deitei-a sobre o pão.


Levei ao forno até a mistura secar e dourar as fatias de pão.


  
Ficou bom, q.b.!
O pão poderia ter dourado um pouquinho mais no forno...


quarta-feira, 4 de Julho de 2012

Saladinha (provável) de Petingas (Trilogia 87)

Os meus companheiros de trilogia, às quartas, gostam de brincar!
Na semana passada, o Luís atirou com improvável, logo o Amândio respondeu com um provável...
E eu que me desembrulhe destas propostas «quase» filosóficas!
lolol...


Nada mais provável cá em casa se eu chegar tarde e me prepararem o jantar (coisa rara de acontecer, mas possível...).
É uma saladinha de feijão frade com cenouras, nabo e ovo cozido... e uma lata de petingas de conserva em azeite.
No final, um fio de azeite, uns borrifos de vinagre e umas folhinhas verdes a salpicar (salsa ou coentros).
O nabo é o segundo provável desta não história: ele  faz toda a diferença e até se torna uma companhia indispensável para as petingas, tornando-se bem provável a sua entrada nesta dança.


Foi um final saboroso para um dia comprido e quente, daqueles que parecem não acabar...