quarta-feira, 31 de Outubro de 2012

Feijoada de Choco (Trilogia 104)

A 104 segue-se à 103, assim como a feijoada se segue aos cominhos.
O tema, esta semana, veio do norte, das terras altas, ditado pelo Amândio ao Luís e a mim...


Num tacho largo, com um fundo de azeite, refoguei ligeiramente 3 dentes de alho esmagados, 2 cebolas grosseiramente picadas e umas rodelas de chouriço. 


Juntei, então, 1 choco limpo e cortado em quadrados (pesava cerca de 1 kg).
Envolvi um pacote de polpa de tomate (200 g), reguei com um pouco de vinho branco, temperei com pouco sal e pimenta rosa moída e deixei estufar durante cerca de meia hora.


Foi a vez de lhe juntar feijão branco cozido (esteve de molho uma noite em água fria) e alguma água da sua cozedura.
Envolvi-os e deixei apurar uns minutos com o tacho destapado.
Antes de servir, salpiquei com salsa fresca cortada.


Desta vez resisti à tentação de juntar uns camarões descascados...
consegui um sabor mais concentrado, com um ligeiro aroma de fumeiro, bem agradável.



domingo, 28 de Outubro de 2012

Arroz de Sapateira

Já tinha feito arroz de sapateira, mas desta vez a senhora do arroz foi comprada congelada e já cozida.
Nada de caldo da cozedura para o arrozito…


Era uma bela sapateira, não era?
Para compensar a falta de caldo, cozi 6 camarões, em água e sal, que depois descasquei e cortei em 3.
Guardei o caldo de os cozer, depois de ferver mais uns 20 minutos com as cabeças e as cascas, devidamente coado.


Cobri o fundo do tacho de barro com azeite, juntei 3 dentes de alho picados, 2 tomates maduros em pedacinhos e 1 malagueta fresca cortada ao meio.
Temperei com pimenta moída e uma folha de louro.


Juntei o caldo de cozer o camarão e, quando ferveu, cozi nele o arroz carolino.
Entretanto, abri e desmanchei a sapateira, tirando todo o conteúdo da mesma para uma tacinha.
Tirei também a carne das pinças e patas.
Quando o arroz cozeu, juntei toda a sapateira e os pedaços de camarões cozidos, envolvendo bem e retirando do lume.


Salpiquei com coentros cortados... pois claro!


sábado, 27 de Outubro de 2012

Açorda de Camarão no Pão

Era assim, uma açorda de camarão no pão, que deveria ter saído na quarta feira de trilogia quando  o tema era açorda...
Só se fez hoje e em boa hora, pois resultou num jantar 5 estrelas de aspeto e sabor!


Usei este pão alentejano que comprei há 3 dias e guardei direitinho até hoje.


Cortei-lhe uma tampa e escavei-o por dentro, retirando o miolo.
Enquanto isso, cozi 300 g de camarão descascado.
Reservei a água da cozedura.


Cobri o fundo de um tacho com azeite e juntei alhos picados.
Deixei aquecer bem, sem ferver.
Fiz um creme, juntando o miolo do pão, alguma água da cozedura dos camarões e 3 ovos batidos.
Envolvi bem.
Temperei com sal, pimenta moída e coentros picados.
Adicionei então os camarões cozidos e escorridos, mexendo cuidadosamente com a colher de pau,.
Preenchi a cavidade do pão com este creme.
Servi.


Valeu a pena fazer esta rima... e ainda mais comê-la.



quinta-feira, 25 de Outubro de 2012

(Mais Uma) Lasanha

Bem sei que todos sabem fazer uma boa lasanha...
O que esta tem de especial é ser a nossa lasanha, feita a 4 mãos, pelo P e por mim. 


Faço um molho bolonhês com azeite, alhos e cebola picados, carne de vaca picada, tomate e vinho tinto.  Temperei com sal e pimenta moída.
Num tabuleiro, untado com azeite, coloquei 3 placas de lasanha (pré cozidas). 
Sobre elas dispus colheradas do molho bolonhês, um pouco de béchamel e farripas de queijo mozzarella.
 Repeti esta camada por 3 vezes.


Terminei com placas de lasanha cobertas com béchamel e queijo mozzarella.


Levei ao forno para gratinar.
Servi com uma salada verde.


Não ficou só bonitona, ficou deliciosa também...


quarta-feira, 24 de Outubro de 2012

Frango com Grão (Trilogia 103)

As trilogias (e já vamos, imparáveis, na 103) têm destas coisas de me transportar a novos aromas e sabores.
Quando o Amândio disse cominhos, ao Luís e a mim, até abanei... só conseguia pensar em morcelas... e feijoadas... e rojões!
Saiu frango com grão...


Na véspera, demolhei 600 g de grão em água fria, com um pouco de sal.
No dia seguinte, mudei a água e cozi-o, sem sal, até ficar macio.
Cortei 3 peitos e 2 pernas de frango do campo em pedaços regulares.


Alourei os pedaços de frango, sobre lume médio, em azeite.
Juntei 1 pimento vermelho, cortado em tiras, e deixei cozinhar um pouco mais.


Juntei também 3 dentes de alho picados e 1 cebola grande cortada em tiras.
Deixei sobre o lume mais uns 10 minutos.


Foi a vez do grão entrar no tacho,assim como 2 tomates maduros em pedacinhos.
Temperei com sal, pimenta moída, 1 pau de canela e  pozinhos de cominhos.
Juntei alguma água da cozedura do grão e deixei sobre lume brando mais uns 15 minutos.


Deixei ainda apurar um pouco, com o tacho destapado.
Servi com raminhos de hortelã fresca.


E não querem lá ver que até gostei do sabor dos senhores cominhos?
E o bocadito que sobrou ainda se revelou mais saboroso depois de aquecido no dia seguinte...

quarta-feira, 17 de Outubro de 2012

Açorda de Camarão (Trilogia 102)

Nesta 102ª semana, o Luís lançou o tema açordas para mim e para o Amândio...
É todo um mundo que se descobre quando nele se mergulha (falo por mim, que os dois companheiros de trilogias sabem mais de açorda do que o próprio pão).


Cozi os camarões em água a ferver com sal.
Quando a água retomou a fervura, apaguei o lume e esperei 3 minutos com o tacho tapado.
Escorri os camarões e reservei a água da cozedura.
Quando arrefeceram, descasquei-os e retirei-lhes as cabeças.
Deixei estas ferverem no caldo reservado durante cerca de meia hora, sobre lume muito brando.
Deitei este caldo de camarão, bem quente, sobre pedaços cortados de um pão (da véspera) que coloquei dentro de uma taça.
Deixei o pão amolecer.


Cobri o fundo do tacho de barro com azeite.
Nele deitei 3 dentes de alho esmagados, uma malagueta fresca cortada em pedacinhos e um pouco de pimenta moída.
Deixei aquecer bem e misturei o pão embebido no caldo de camarão.
Envolvi com a colher de pau.


Juntei então os camarões descascados.


Envolvi tudo com 4 ovos inteiros batidos e polvilhei com um raminho de coentros picados.


Ficou uma delícia...
… para a próxima é que vão ser elas (eles)!!!




domingo, 14 de Outubro de 2012

(Um) Strogonoff

Este strogonoff nasceu de uma caixinha que andava pelo congelador a guardar duas bifanas grandonas, sem destino marcado...
e há tempos demais para o meu gosto.


Cortei as bifanas em tirinhas que temperei com sal, pimenta moída, 2 folhas de louro, 2 colheres de chá de massa de pimentão e alho em pó.
Cobri o fundo de um tacho com azeite e 2 colheres de chá de banha, onde rebolei as tirinhas de porco até tomarem cor.
Juntei uma dúzia de cogumelos frescos fatiados que envolvi com a carne.


Borrifei com vinho branco e deixei evaporar um pouco.
Juntei 1 pacote de natas (200 ml), envolvi bem e deixei engrossar sobre lume brando, com o tacho tapado.
Servi com batatas fritas em azeite.


Uma saladinha verde também fez boa figura como acompanhante...

quarta-feira, 10 de Outubro de 2012

(Houve) Escabeche (no 3º A) (Trilogia 101)

Deu-me para sugerir escabeche ao Amândio e ao Luís nesta 101ª semana.
Fiz de carapaus e de sardinhas que, aqui por casa, há gostos diferentes...


Fritei os carapaus em azeite quente, temperados só com sal e passados por farinha de milho.
Num tacho, deitei um fundo generoso de azeite, juntei 3 cebolas cortadas em rodelas finas, 3 dentes de alho esmagados e 1 folha de louro.
Temperei com pouco sal e pimenta preta moída.
Em lume muito brando, deixei que a cebola ficasse murcha.
Juntei um golpe de vinagre e deixei ferver um pouquinho.
Deitei o molho sobre os carapaus fritos e escorridos e guardei no frigorífico.
No dia seguinte, retirei-os do frio umas horas antes de servir com batatas cozidas com pele.


Fiz o mesmo com as sardinhas, escaladas e decapitadas.
Usei metade do molho de escabeche que fiz para os carapaus e procedi da mesma forma:
guardei no frigorífico até ao dia seguinte e retirei-os umas horas antes de servir.


Também acompanhei com batatas cozidas com pele.


Alguém adivinha qual era o meu prato?
Sardinhas ou carapaus?
lol!!!


quarta-feira, 3 de Outubro de 2012

Cogumelos Fritos (Trilogia 100)

E chegámos à 100 ª semana de trilogias, após quase dois anos ininterruptos do que começou por ser uma quase brincadeira de 3 estarolas...
Hoje é dia de celebrarmos... dia de festa... entre Lisboa e Porto.
Faremos um jantar tripartido, mas que se complementará.
A mim coube-me a entrada (não se deixem enganar pelas fotos, já que os cogumelos ficaram para lá de muito bons), ao Luís o prato principal (será um delicioso polvo) e ao Amândio a sobremesa (imagina-se a maravilha que virá do norte). 

Limpei bem 500 g de cogumelos e parti-os ao meio.
Piquei 50 g de barriga fumada, 5 dentes de alho e salsa.
Misturei meia chávena de pão ralado e envolvi bem.
Temperei com sal fino  e pimenta moída


Numa frigideira larga, fritei os cogumelos em 5 colheres de sopa de manteiga.


Sobre eles deitei a mistura de barriga fumada, alho, salsa e pão ralado.
Deixei ficar sobre lume brando, com a frigideira destapada, agitando-a de vez em quando.
No final, já fora do lume, reguei com o sumo de meio limão.
Servi com rodelas de limão, cortadas em meias luas.


E o pontapé de saída está dado... 
Espero que os meus companheiros trilógicos gostem tanto quanto eu desta camada crocante e saborosa que se formou em torno dos cogumelos...



segunda-feira, 1 de Outubro de 2012

Frango no Forno com Tomilho/Limão e Limão

Não foi a primeira vez que assei  frango com o sabor e o perfume do limão...
Mas nem sempre fica tão especial!


Coloquei pedaços de um frango do campo num tabuleiro untado com azeite.
Nos intervalos do frango entalei meias batatas.
Salpiquei com pedrinhas de sal, o sumo de 1 limão, pimenta moída, alho em pó e pozinhos de pimentão doce.
Nos 4 cantos do tabuleiro dispus nozinhas de banha e, sobre o frango, espalhei umas hastes de tomilho-limão.
Borrifei com um pouco de vinho branco e levei ao forno por cerca de 1 hora e 30 minutos.


A meio do tempo virei os pedaços de frango e reguei-os com o molho formado no tabuleiro.
Nos últimos quinze minutos, coloquei no tabuleiro meias luas de limão, entre as batatas e os pedaços de frango. 


Para além de ter ficado um frango delicioso, o perfume do limão inundou  a cozinha, alastrou pela casa e transbordou para as escadas do prédio...