quarta-feira, 30 de Janeiro de 2013

(Uma) Paella (Trilogia 117)

E o tema desta 117ª foi ditado pelo Luís e é Espanha...
O Amândio e eu não nos importámos nada de dar um saltinho até aos nossos vizinhos.


Comecei por alourar, em azeite bem quente, 2 peitos de frango cortados em cubos e 50 g de bacon cortado em tiras.


Juntei 1 cebola picada, 2 dentes de alho e meio pimento vermelho cortado em quadrados.
Deitei  também 3 tomates pelados esmagados com um garfo, 200 g de ervilhas congeladas e 3 lulas em rodelas.


Finalmente entraram no tacho 200 g de miolo de camarão.
Envolvi todos e deixei cozinhar por 10 minutos.


Deitei 2 chávenas de chá de arroz agulha e 2 conchas de caldo de galinha quente.
Fui juntando conchas de caldo quente sempre que as anteriores tinham sido absorvidas
O cozimento durou cerca de 20 minutos.


Nos últimos 5 minutos foi a vez de entrarem na frigideira 200 g de mexilhões congelados em meia casca.
Diluí ainda 2 colheres de chá de açafrão na ultima concha de caldo.
Temperei com sal e pimenta, borrifei com o sumo de meio limão e servi bem quente.


Rumando, de vento em popa, para a 118ª...


sábado, 26 de Janeiro de 2013

Frango Estufado com Chouriço

Frango é sempre bom, com ou sem acompanhamentos de luxo, como hoje...


Rebolei 1 cebola cortada em meias luas, 2 dentes de alho esmagados e umas rodelas de chouriço num fio de azeite.


Juntei-lhes meio pimento vermelho em tiras e deixei-os trocar sabores.


Fritei, neste azeite, meio frango do campo temperado com sal, pimenta preta moída e louro.
Quando ganhou cor de todos os lados, borrifei com vinho branco, tapei o tacho com a tampa e deixei estufar sobre lume brando.
Nos últimos minutos, juntei-lhe meia dúzia de cogumelos fatiados e quando o retirei do lume salpiquei-o com salsa picada.


Acompanhei com batatas fritas em azeite, que isto de agradar a gregos e a troianos tem muito que se lhe diga...



quarta-feira, 23 de Janeiro de 2013

Risoto de Camarão e Cogumelos (Trilogia 116)

Quando disse risoto ao Amândio e ao Luís pensei juntar dois dos meus ingredientes preferidos:
camarões e cogumelos!
Não me arrependi... 


Comecei por descascar e descabeçar uns camarões, de tamanho médio.
Com as cascas e as cabeças fiz um caldo, juntando 1 cenoura em rodelas fininhas, a rama verde de um alho francês, dois dentes de alho esmagados, uns grãos de pimenta e sal.
Deixei ferver, sobre lume brando, cerca de meia hora.
Coei e reservei deixando sobre o lume, no mínimo, para o manter quente.


Num tacho, deitei um fio de azeite e 1 colher de sopa de manteiga.
Alourei, na gordura quente, um dente de alho esmagado e 1 cebolinha picada.


Salteei os camarões e uns cogumelos fatiados durante uns 5 minutos.
Temperei-os com sal e pimenta.
Retirei-os do tacho e reservei-os num prato.
Juntei mais um pouquinho de azeite, no tacho, e alourei outra cebolinha picada.
Quando esta ficou transparente juntei 2 chávenas de chá de arroz arbóreo e mexi rapidamente durante uns 3 minutos.
Deitei 1 chávena de chá de vinho branco seco e fui mexendo sempre até este ter sido absorvido.
Fui deitando então o caldo reservado (bem quente), em conchas, uma de cada vez, conforme iam sendo absorvidas.


Passados 15 minutos, acrescentei os camarões e os cogumelos laminados, envolvendo-os no arroz.
Retirei o arroz do lume e juntei um cubinho de manteiga e 2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado, mexendo rapidamente.
Salpiquei ainda com um pezinho de coentros picado.
Servi bem quente.


Eu gostei!
Houve reclamações de quem preferia sem o queijo parmesão...


domingo, 20 de Janeiro de 2013

(Outra) Vaca no Tacho

Ficou tão boa que mereceu aparecer por aqui, embora sendo apenas mais uma carne de vaca estufada em vinho tinto.


No tacho de barro, deitei um fio de azeite, 2 colheres de sopa de banha, 3 dentes de alho esmagados , 1 cebola grande em pedaços, meio pimento vermelho cortado em tiras e a carne de vaca.
Temperei com sal, pimenta moída, pozinhos de pimentão doce e louro.
Juntei cerca de meio litro de vinho tinto.


Deixei estufar sobre lume brando por quase 2 horas.
Nos últimos 20 minutos juntei batatinhas descascadas ao molho e deixei-as cozer.
Finalmente apurei o molho.
Cortei a carne em fatias e acompanhei-a com as batatinhas e brócolos cozidos em água e sal.


É o que chamamos de comida de Inverno!


quarta-feira, 16 de Janeiro de 2013

Ovos com Camarão (Trilogia 115, a da Cozinha Rápida)

Para a 115 nada mais adequado que um tema como o da cozinha rápida... como disse o Amândio nesta semana., ao Luís e a mim.
Estes ovos saem da minha cozinha em muitos domingos ao fim do dia, em jantares que são tudo menos rotineiros.


Numa frigideira, deitei azeite a cobrir o fundo e, quando aqueceu, fritei nele miolo de camarão.
Temperei com pedrinhas de sal e pimenta preta.


Juntei 7 ovos batidos e deixei-os coagular sobre lume brando.
Quando estavam quase prontos salpiquei com folhas de coentros frescos.
Acompanhámos com uma salada de alface e pão.


Bem simples e bem delicioso... e em menos de 10 minutos.

segunda-feira, 14 de Janeiro de 2013

Camarões Fritos com Brandy

São só mais uns camarões fritos...
Desta vez abri-os e eles enrolaram-se na frigideira como se fossem borboletas.


Descongelei os camarões, retirei-lhes as cabeças e descasquei-os, mantendo-lhes apenas as pontas dos rabinhos.
Deixei-os, por cerca de meia hora, com sal e sumo de limão.


Cobri o fundo de uma frigideira com azeite, deitei-lhe 6 dentes de alho laminados e 2 malaguetas secas.
Fritei os camarões abertos, dos 2 lados, só o tempo suficiente para ganharem uma cor alaranjada.
Borrifei-os com brandy e deixei o molho apurar.
Salpiquei com coentros cortados.


Ficaram fixes, o petisco ideal para um final de Domingo.


domingo, 13 de Janeiro de 2013

(Outra) Feijoada de Galinha

Desta vez usei feijão vermelho (costumo fazer com branco) e tomate para dar mais cor e sabor...


Num tacho largo, deitei um fio de azeite, 3 dentes de alho esmagados, 2 cebolas picadas, 3 cenouras em rodelas, 2 tomates aos pedaços e meio chouriço cortado em rodelas.
Temperei com sal e pimenta preta e deixei-os rebolar, sobre lume muito brando, durante uns 20 minutos.


Juntei então, meio frango do campo cozido, desfiado e limpo de ossos e peles.
Deixei-os conhecerem-se uns aos outros e trocarem sabores.


Passados mais cerca de 15 minutos, juntei feijão vermelho cozido e 2 conchas da água da cozedura.
Deixei apurar.
Polvilhei com salsa picada.


Comidinha boa para estes dias frios e chuvosos, esta!



quarta-feira, 9 de Janeiro de 2013

Polvo com Alecrim (Trilogia 114)

O bem cheiroso alecrim virou tema nesta 114ª semana para o Amândio, o Luís e eu...
Por aqui, aliou-se ao polvo, perfumando-o de maneira irresistível, assim como às suas fieis 
acompanhantes batatinhas.


Num tabuleiro de barro, com o fundo coberto de azeite, coloquei batatinhas com casca (lavadas com uma escova) e um polvo descongelado.


Salpiquei as batatas com pedrinhas de sal.
Temperei o polvo com mais um fio de azeite, uns 5 dentes de alho laminados e as folhas que retirei de três hastes de alecrim fresco.


Tapei o tabuleiro com folha de alumínio e levei ao forno quente durante 1 hora.


Passado esse tempo, retirei o papel de alumínio e deixei no forno  por mais cerca de 25 minutos, para ganhar uma bela cor dourada.


Nunca tinha juntado alecrim com coisas do mar, mas este foi um belo casamento mar/terra e que se tornou num almoço de mata-saudades...

quarta-feira, 2 de Janeiro de 2013

Lombinho em Massa Folhada (Trilogia 113)

Entrámos em 2013 e é a 113ª semana em que os 3 (Amândio, Luís e eu) levamos a bom porto esta trilogia, desta vez com o tema massa folhada.


Temperei um lombinho de porco com sal, pimenta preta moída, dentes de alho laminados e folhas de louro partidas.
Deixei descansar por cerca de 2 horas.
Levei-o ao forno quente, num tabuleiro untado com azeite, por uns 25 minutos.
Retirei-o do forno e deixei-o arrefecer.


Entretanto, cozi uma farinheira em água (sem sal) durante uns 5 minutos.
Quando arrefeceu. tirei-lhe a pele e desfiz o seu interior com a ajuda de um garfo.
Dispus o miolo da farinheira sobre o centro duma placa de massa folhada, mais ou menos no comprimento do lombinho.


Sobre esta cama de farinheira coloquei o lombinho assado e já frio.


Fechei a placa de massa em volta do lombinho e farinheira, acertando as extremidades com uma faca e...


... calcando bem com um garfo para fechar bem.


Levei ao forno cerca de 15 minutos, espreitando para não deixar a massa queimar.


Tirei do forno e, com um pincel, espalhei uma gema de ovo batida.
Levei novamente ao forno mais 5 minutos, só para a gema cozer e ficar brilhante.


Cortei o rolo em fatias com a ajuda de uma faca elétrica.
Acompanhei com batatas salteadas, cubos de ananás e uma salada de alface.


Ficou muito bom, tenro e saboroso, para além de nada mal passado...
Desapareceu todinho no 1º combate...


terça-feira, 1 de Janeiro de 2013

Rabanadas do Convento

As rabanadas são a minha perdição, no natal e não só...
Quando encontrei estas não fritas, soube logo que teria de experimentá-las...
A gulodice por doce de ovos não perdoaria!


Cortei 1 pão de forma, com 2 dias, em fatias com cerca de 1 dedo de espessura.
Num tacho, deitei 2 dl de água, 300 g de açúcar, 1 pau de canela, 2 tiras de casca de limão, 1 colher de sopa de manteiga, outra de mel e uma pitada de sal.
Mexi bem, até ferver e formar uma calda pouco espessa.
Retirei do lume, juntei 1 cálice de vinho do Porto e deixei arrefecer.


Bati ligeiramente 9 gemas com 1 garfo.


Embebi as fatias de pão na calda de açúcar e depois nas gemas batidas.


Entretanto, levei ao lume 700 g de açúcar e 0,5 l de água.
Deixei ferver para obter uma calda de ponto fraco.
Introduzi as fatias nesta calda a ferver, como se fosse para fritar, virando-as dos 2 lados.
À medida que ficaram prontas, coloquei-as num pirex fundo.
Reguei as rabanadas com a calda bem quente, à qual juntei também 1 cálice de vinho do Porto.


Na próxima vez, cortarei as fatias mais finas e usarei mais 1 gema de ovo...
Mas não restam dúvidas que estas serão as rabanadas eleitas!