segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011

Frango com Alecrim e Laranja

O melhor de ter um blog é conhecer outras pessoas, outros blogs, trocar e partilhar experiências... 
CRESCER!
Hoje foi aqui que me inspirei para este frango do campo no forno, pois por lá são sempre vistosos, coradinhos e apetitosos... uma tentação!


Deixei o frango do campo, cortado aos pedaços, numa marinada de vinho tinto, alhos esmagados, sal e pimenta, durante todo o dia.
Arrumei os pedaços num tabuleiro de barro, reguei-os com a marinada e com o sumo de uma laranja.
Espalhei umas nozinhas de banha e desfolhei uns raminhos de alecrim.
Levei ao forno quente.


Mais ou menos, a meio do tempo, virei os pedaços de frango, reguei-os com o molho que se formou e intercalei rodelas finas de batatas.
Levei, de novo, ao forno para assar as batatas e os pedaços de frango ficarem loiros e tenros.
Quando ficou pronto, coloquei-lhe meias rodelas de laranja.


Couves não havia... 
só uma bela de uma salada de alface! Lol!!!


sexta-feira, 25 de Fevereiro de 2011

Espetinhos de Camarão no Forno

Hoje estou preguiçosa!
E nem vou dizer que é por ser 6ª feira...


Retirei as cabeças dos camarões e descasquei-os, deixando-lhes a pontinha do rabo.
Enfiei 5 em cada um dos espetinhos de madeira.
Coloquei-os num pyrex temperei com sal, pimenta preta, pimentão doce em pó, lasquinhas de alho e reguei com azeite e vinho branco.
Levei a forno quente por uns 10 minutos.


Fizeram uma entrada simples e simpática...

quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

Caldeirada de Chocos com Batata Doce e Ervilhas (Trilogia 16)

Para esta 16ª, propus ao Amândio e ao Luís um alimento tão simples quanto a batata doce.
No entanto, não se deixem enganar pela sua modéstia, pois vai marcando pontos à esquerda e à direita, nos doces e nos salgados...  


Cobri o fundo do tacho de barro com azeite e juntei 3 dentes de alho esmagados, 1 cebola em meias luas, uns quadrados de pimento verde e outros vermelhos e cerca de metade do conteúdo de uma lata de tomate aos pedaços.


Por cima, coloquei rodelas de batata doce e polvilhei com pedrinhas de sal.


Entretanto, escaldei chocos pequenos, introduzindo-os em água a ferver e retirando-os quando esta retomou a fervura.
Limpei-os dos barquinhos e não só.
Coloquei-os sobre as rodelas de batata doce, salpiquei-os de sal e pimenta preta moída e mais uns quadrados de pimento verde e vermelho.


Coloquei mais uma camada de rodelas de batata doce, a outra metade do conteúdo da lata de tomate em pedaços e, finalmente, uns pezinhos de salsa.
Reguei com 1 copo de vinho branco e um pouco de água, para que o molho quase cobrisse as batatas.
Tapei o tacho e deixei-o sobre lume brando, durante uns 15 minutos, mais ou menos.


Destapei o tacho, juntei 300 de ervilhas congeladas e deixei sobre o lume mais 10 minutos, para apurar bem.


E agora, Luís, que se segue?
Já pensaste?

segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2011

Frango com Hortelã

Ficou daqueles frangos quase sem história para contar!
Mas bom que chegue para aparecer por aqui... 

Começou com um fundo de azeite num tacho de barro, uns dentes de alho fatiados, umas tiras de pimento vermelho e umas rodelas de chouriço.


Quando o azeite aqueceu, juntei 1 frango cortado em pedaços e deixei-os rebolar até ganharem uma cor dourada.


Temperei com sal e pimenta preta moída.
Reguei com 1 copo de brandy e coloquei sobre o frango 1 raminho de hortelã.
Tapei o tacho e deixei sobre lume brando até a carne do frango ficar bem macia.


Destapei o tacho, retirei os pés de hortelã, juntei uma mão cheia de ervilhas congeladas, deixei apurar e juntei mais hortelã fresca.
Acompanhei com arroz branco.


Só umas ervinhas chamadas hortelã marcaram a diferença neste frango estufado...



quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Garoupa Estufada com Pimento Vermelho

Garoupa dá para tudo: cozer, grelhar, assar, estufar, fritar...
Desta vez, meteu-se no tacho com o pimento vermelho! 


Usei meia garoupa, sem espinhas.


Cortei-a ao meio, longitudinalmente. e depois cada uma das duas partes em 3.


Num tacho (é frigideira, mas gosto de lhe chamar tacho), deitei um fio de azeite, 2 dentes de alho às rodelinhas e meio pimento vermelho.
Juntei ainda uns pés de salsa cortados e deixei que tudo murchasse no azeite quente.


Coloquei os pedaços de garoupa, com a pele virada para baixo, deixei-os fritar um pouco, virei-os com uma espátula e salpiquei-os com pedrinhas de sal e ervas da Provença.


Depois de estufarem no seu próprio molho, dos 2 lados, servi-os com arroz de alho.


Foi um jantar bem despachado, mas sem deixar de ser saboroso...
Começo a receber reclamações por fazer tanto peixe, lol!...

quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011

Bacalhau à Lagareiro (Trilogia 15)

Quando o Amândio propôs, ao Luís e a mim, o tema Bacalhau, para esta 4ª feira, eu pensei «Bacalhaus há muitos...» e decidi que haveria de fazer um especial (como se houvesse bacalhaus não especiais...).
Consultei a Cozinha Tradicional Portuguesa de Maria de Lourdes Modesto e encontrei este lagareiro.

Cortei 3 lombos de bacalhau, ao meio, obtendo 6 cubos grandes e pus de molho durante 36 horas, mudando a água duas ou três vezes.
Duas horas antes de o cozinhar, escorri o bacalhau, cobri-o com leite e temperei-o com 4 dentes de alho cortados às rodelas, pimenta e sumo de 1 limão.


Em seguida, escorri, passei os cubos de bacalhau por 2 ovos batidos,


... por pão ralado e coloquei-os num tabuleiro de barro.


Sobre cada cubo coloquei uma nozinha de manteiga.
Deitei 2,5 dl de azeite no tabuleiro, juntamente com duas colheres de sopa do leite que serviu para temperar o bacalhau. 


Levei a assar no forno, regando de vez em quando com o próprio molho, até o bacalhau ficar muito louro.


 Comeu-se bem quente com batatas cozidas, enfiadas no tabuleiro com o bacalhau, nos últimos minutos.

Foi bem boa esta Trilogia!
Sou capaz de apostar que hei-de fazer mais 2 bacalhaus saídos dela...


segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

Fritada de Peixe

Nem todos gostam de petingas, só eu cá em casa...
Mas não é por isso que as deixo de provar quando me apetecem.
Desta vez vieram acompanhadas por umas ferreiras bem simpáticas!


Minutos antes de as fritar, temperei-as com pedrinhas de sal.


Passei-as por farinha de milho, fritei-as em óleo bem quente e escorri-as.


O arroz, desta vez, foi de ervilhas e pimento vermelho.


Podem escolher...
Ferreira ou petingas???

sábado, 12 de Fevereiro de 2011

Centro de Pescada ao Mar

Trata-se mesmo só do centro,  já que a cabeça e o rabo foram retirados e acabaram cozidos.
A Maria abriu o centro da pescada grandona e, cuidadosamente, tirou-lhe as espinhas...


Coloquei o centro da pescada, aberto, num tabuleiro untado com azeite e com o fundo coberto de rodelas de cebola.
Rodeei a pescada com rodelas de batatas quase finas e temperei com sal, pimenta moída, pimentão doce e alhos picados.
Reguei com mais azeite e vinho branco.
Levei ao forno por uns 20 minutos.
Entretanto, escaldei mexilhões, cozi camarões e descasquei-os.
Coloquei-os no tabuleiro, os camarões sobre a pescada e os mexilhões em volta.
Levei ao forno mais 10 minutos.
Polvilhei com salsa, antes de servir.


Ficou simplesmente deliciosa!

sexta-feira, 11 de Fevereiro de 2011

Dourada no Forno

Ainda ando em busca dos tempos perfeitos para os peixes, no forno...
Desta vez não devo ter andado longe!


Arranjei uma dourada (pronto, confesso, a Maria arranjou a dourada), dei-lhe uns golpes em cruz no lombo, que preenchi com dentes de alhos laminados e temperei-a com sal.
Introduzi, ainda, um dente de alho esmagado na barriga e outro dentro da cabeça do peixe.
Deitei-a no tabuleiro de barro com o fundo coberto de azeite e com umas rodelas de cebola roxa.


Rodeei-a com batatinhas cozidas com pele, salpicadas com pedrinhas de sal e polvilhadas com pozinhos de pimentão doce.


Levei ao forno quente, durante uns 20 minutos.


O bom sabor que ela nos ofereceu, cedo afastou as desconfianças instaladas do «mal passado», que parece não existir quando falamos de peixes...

quarta-feira, 9 de Fevereiro de 2011

Pato com Molho de Laranja (Trilogia 14)

Luís sonhou, para esta 14ª trilogia, com patos marrecos... e lá fomos, o Amândio e eu, até à capoeira...

Aqueci 1 colher de sopa de azeite e 2 colheres de sopa de manteiga numa frigideira.


Dourei os peitos, coxas e asas do pato, dos 2 lados, salpicados com umas pedrinhas de sal.

Coloquei-os num tacho de barro e...


... juntei à gordura, que ficou na frigideira, 2 cebolas médias picadas.

Deixei-as alourar e retirei do lume.


Cortei a casca de 1 laranja e coloquei-a no tacho, junto com os pedaços de pato.


Espremi o sumo da mesma e juntei-a à cebola, na frigideira.
Acrescentei meia chávena de vinho do Porto, o sumo de meio limão e meia chávena de compota de laranja amarga.


Levei ao lume para levantar fervura.
Deitei o molho sobre o pato, tapei o tacho de barro e levei-o ao forno até a carne ficar macia (foram quase 2 horas).

Retirei os pedaços de pato cozinhados e mantive-os em local aquecido.

Tirei,  também, do molho, a casca de laranja, levei-o ao lume e deixei-o ferver.

Dissolvi 1 colher de sopa de fécula de batata numa colher de sopa de água.
Juntei-a ao molho e deixei-o engrossar.
Temperei de sal e pimenta.
Introduzi o pato, de novo, no tacho com o molho e decorei com meia chávena de amêndoas laminadas e rodelas de  outra laranja.

Acompanhei com puré de maçã raineta.

Quá, quá, quá...
cumprimos a 14ª!!!!


segunda-feira, 7 de Fevereiro de 2011

Lulas Recheadas com Queijo e Fiambre

Gosto de rechear as lulas, mesmo quando são só grelhadas... estas, com queijo e fiambre são as minhas preferidas!


Fiz rolinhos com 1 fatia de queijo flamengo e outra de fiambre.


Introduzi cada um dos rolinhos dentro de 1 lula e prendi com 1 palito.


Grelhei-as, dos dois lados, no grelhador eléctrico.


Entretanto, fiz o acompanhamento:
coloquei rodelas de cenouras, num tacho com o fundo coberto de azeite e 3 dentes de alho picados.
Quando estavam mais ou menos fritas, juntei ervilhas tortas partidas ao meio e, quando estas estavam macias, juntei uma mão cheia de cogumelos frescos, cortados ao meio.
Deixei apurar e salpiquei com umas pedrinhas de sal.


Reguei as lulas grelhadas com 1 fio de azeite.


Servi quente, que o queijinho derretido não gosta de esperar...


Quase parece que a Primavera está a chegar...